Eduardo César Werneck: “Algumas ‘marcas’ da Revolução Constitucionalista de 1932 em Cruzeiro…”

18/02/2018 13:22

“A memória da Revolução Constitucionalista de 1932 ainda inspira muitos cuidados…  Hoje, serão destacados quatro pontos ‘turísticos’ de Cruzeiro… esquecidos, pouco cuidados, desfigurados, ou subutilizados…”

 

A memória da Revolução Constitucionalista de 1932 ainda inspira muitos cuidados…

Hoje, serão destacados quatro pontos “turísticos” de Cruzeiro… esquecidos, pouco cuidados, desfigurados, ou subutilizados…

Pobre Estação Ferroviária… no passado viva e pujante, hoje suas “faces” mostram inequivocamente, o abandono completo…

A Estação Ferroviária dispensa maiores comentários. Era o único meio mais relevante, de acesso e locomoção de passageiros (e cargas), na primeira metade do século XX, no Brasil (mormente em Cruzeiro), inclusive a razão para o surgimento de nossa cidade.

Depois vieram os anos JK… Brasil de 50 anos em 5… e nossa ferrovia… esquecida… azar o nosso ! Caminhamos na contramão…

 

Quem poderia dizer que ai, então sede da Prefeitura Militar em Cruzeiro, ocorreram entendimentos importantes da Revolução de 1932…

A segunda “instituição” foi a sede da Prefeitura Militar na Revolução, instalada em um prédio – o “Palacete Azul” (“uma moradia elegante, toda pintada e à praça…”), na (hoje) avenida Nesralla Rubez, local onde agora se localiza um restaurante (foto ao lado).

Ali se alojou o capitão Affonso de Carvalho, representante da ditadura de Vargas; embora, nenhuma placa alusiva a esta questão foi instalada, quer seja, pelo poder público, quer seja, por aqueles que defendem o “sonho” de 1932. Um dia, ainda derrubam este prédio, pois ninguém se deu conta…

Armistício… rendição… não importa…
Hoje poucos sabem que ai nesta Escola –
“Arnolfo Azevedo” – em 2 de outubro,
aniversário da cidade, foi assinado o fim
da Guerra de 1932…

A terceira, a escola “Arnolfo Azevedo”, onde supostamente foi assinado o armistício… deveria haver outra placa, ai explicitando dados sobre o fato… deveria…

A escola, bem na praça central de Cruzeiro, hoje denominada “9 de Julho”, e que um dia, pasme, foi denominada “João Pessoa”, o falso herói paraibano que deu início (com sua morte) à Revolução de 1930 !

Esta, cá para nós, nunca trouxe nada de bom para o Brasil, e menos ainda para São Paulo. Ah… trouxe para a eternidade a “augusta” figura do “Pai dos Pobres”… o controvertido ditador Getúlio Vargas…

O antigo instalação “provisória” da Caixa Militar do destacamento do Exército do Leste, anteriormente da família Cossermelli, hoje ninguém imagina quantas histórias ai estão guardadas…

Finalmente, bem em frente à referida escola, há um edifício construído ao início do século XX, e dos primeiros de nossa cidade.

Foi sede da agência do Banco Comercial de São Paulo, com o mesmo requisitado para instalação “provisória” da Caixa Militar do destacamento do Exército do Leste, na revolução, em 24/9/1932.

Posteriormente, por muitos anos, abrigou a Caixa Econômica do Estado de São Paulo, e hoje, quase ninguém sabe disto…

Tenho visitado inúmeras regiões com a sincera intenção de pesquisar nossa história e, ao mesmo tempo, aferir o quanto nos importamos com ela…

Confesso que o resultado é desolador, pois nossa memória, salvo por alguns poucos que realmente se importam; diria, em um linguajar médico, que ela está na UTI… em coma profundo… e muito dificilmente serão restaurados e/ou recuperados documentos, obras, ou estruturas de nossa rica história.

Pelo jeito vamos continuar “comemorando” o “14 de julho”, o “23 de novembro”, ou o “4 de julho”, alguns, até o “23 de outubro”, porém, o “9 de julho” e, mesmo o “7 de setembro”, estão me preocupando seriamente…

 

Eduardo César Werneck – drwerneck@uol.com.br

 

Tags: