Documentário brasileiro está entre as 98 produções egípcias e afro-latino americanas selecionadas para o Afrika Filmfestival 2021

13/10/2021 17:35
baixar em alta resolução

O documentário Chico Rei Entre Nós, dirigido por Joyce Prado e produzido pela Abrolhos Filmes, será exibido na edição de 2021 do festival de cinema belga Afrika Filmfestival, que ocorre entre os dias 1 e 16 de outubro, no município de Lovaina

Neste ano, que marca seu aniversário de 25 anos, o festival traz uma programação especial com 98 filmes, debates, desfiles, uma conferência internacional e uma exposição. O Afrika Filmfestival é focado na Diáspora Africana e, a cada edição, traz um foco especial em determinados países. Em 2021, foram selecionadas produções do Egito (dois longas e dez curtas) e afro-latino americanos (três longas, dois documentários e cinco curtas).

A sessão presencial do longa-metragem será no dia 10 (domingo).

Galanga

Premiado na 44ª Mostra Internacional de São Paulo, o filme explora os ecos da escravidão na vida das pessoas negras dos dias de hoje e realça o sentimento emancipador de pertencer a um coletivo. O ponto de partida do documentário é a história de Chico Rei – ou Galanga -, rei congolês trazido como escravo para trabalhar na região de Outro Preto, em Minas Gerais, em 1740, que comprou sua própria liberdade e a de outros escravos. Sua figura foi eternizada na tradição oral e celebrada anualmente no “Reinado”, cerimônia que acontece na cidade mineira.

“Chico Rei Entre Nós” partiu de uma ideia original da Abrolhos Filmes e é o primeiro longa dirigido por Joyce Prado. “A história de pessoas negras em países colonizados, quando narrada, é geralmente contada através da perspectiva dos colonizadores. Nossas vidas foram continuamente marginalizadas, apagadas e reprimidas. A população do país precisa conhecer e reconhecer que foram seus antepassados, a fim de compreender o hoje”, declara a diretora.

Sobre Abrolhos Filmes
A Abrolhos produziu o longa-metragem documentário “Chico Rei Entre Nós” (Joyce Prado, 2020), selecionado para a 44a Mostra Internacional de São Paulo, 13o Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul e 27o Festival de Vitória. Também produziu os curtas-metragens “Solidão 22B” (Jaqueline Vargas, 2016), exibido pelo Canal Brasil, “Chico Rei em Movimento” (André Sobral, 2015), finalista do Prêmio Telas e “Idílio” (André Sobral, 2015), além do média-metragem documentário “Heróis do Brasil – Independência da Bahia” (André Sobral e Fabrício Mendieta, 2012), exibido pela TV Cultura e disponível na plataforma Videocamp.

Sobre Joyce Prado
Formada em Comunicação Social: Rádio e TV pelo Centro Universitário Belas Artes de São Paulo e especialista em Roteiro Audiovisual pelo Centro Universitário SENAC. Desenvolve trabalhos na área de cinema documental, ficcional e publicitário como diretora e produtora. Atuou nas produtoras: Primo Filmes, Abrolho Filmes, Gullane, Produtora Associados, Sagaz Filmes, Geral Filmes, Timore AV e Cinema Zungu. Em 2014, fundou a produtora audiovisual Oxalá Produções realizando conteúdos focados na cultura afro-brasileira e diaspórica. Principais trabalhos: long/fic “Zion” (em desenvolvimento), curta/doc “Memórias de Um Corpo no Mundo” (2018), websérie “Cartas de Maio” (2018), curta/doc “Okán  Mímó” (2017), curta / fic “Fábula de Vó Ita” (2016), websérie “Empoderadas” (2015). Atualmente, é Diretora Administrativa da Associação de Profissionais do Audiovisual Negro (APAN) com atuação frente a Administração Pública, instituições e empresas relacionadas ao audiovisual.

Tags: