De Pernambuco para o Jornal ROL, Fernando Matos, em prosa e em versos!

09/12/2021 11:48

Fernando Matos

Enfermeiro-poeta, ou poeta-enfermeiro, um poeta que cuida do corpo e, sobretudo, da alma!

Fernando Matos, natural de Recife/PE,  divide seu tempo entre a profissão e a Arte Literária. Profissionalmente, é formado em Relações Públicas e Enfermagem, com Pós-Graduação em Obstetrícia.

Navegante dos Mares literários, Fernando Matos é Doutor Honoris Causa em Arte e Poesia, título outorgado pelo Centro Sarmathiano de Altos Estudos Filosóficos e Históricos. Embaixador da Paz, Delegado Cultural, Doutor Honoris Causa em Comunicação Social e Bacharel em Direitos Humanos com ênfase em Ciências Sociais pela OMDDH – Organização Mundial dos Defensores dos Direitos Humanos e Comendador e Delegado Cultural pela FEBACLA – Federação Brasileira dos Acadêmicos das Ciências, Letras e Artes.

É este profissional da Saúde, que trata seus semelhantes com técnica e sensibilidade que, agora, abrilhanta o Quadro de Colunistas do ROL!

Sua primeira contribuição, a crônica “O Dia em que um anjo chorou’.

O Dia em que um Anjo Chorou 

Tudo que é perfeito nasceu de muito suor, sangue e lágrimas. Na linha tênue entre os dois mundos vozes de cobiça, luxo e ostentação ecoaram. Preocupado com a evolução Humana a Grande Luz quebrou o espelho do Homem. Perdidos em seu próprio espaço não conseguiram entender o pranto, o silêncio da partida e nem tão pouco como buscar a redenção em vida.

O ar se tornou impuro, passamos a usar máscaras. Sentimos repugnância ao toque, deixamos de abraçar e de sentir a força do aperto de mão. O medo fez a humanidade limpar seu ambiente mais puro que existe, o corpo humano, o templo da vida. A necessidade de limpar cada vez mais e mais enlouqueceu os menos cuidadosos. A vaidade caiu e com ela, ficamos de joelhos para pedir perdão, saúde e orientação na Nova Era.

Passamos a observar e viver o agora, porque o amanhã ficou cada vez mais longe. Todavia foi enviado Anjos de Luz para redirecionar os humanos ao destino correto. Passamos a entender melhor o que é afeto familiar, verdadeiras amizades, o valor em estar vivo para continuar a evolução. Ainda existem seres vivos com frio, fome e desamparados do calor humano? Sim. Entretanto, essas pessoas com sentimentos, resiliência e fé são os mais protegidos porque em sua grande maioria conseguem entender que tudo é passageiro e Eterno é o Grande Ensinamento diário.

Em cada partida um Anjo verteu lágrimas e em cada lágrima o bálsamo da consolação Divina preparando o espírito viajante para um propósito maior. “Para haver redenção é preciso respeitar a transformação do pensar sem perder a essência humana…” e o poeta ainda diz: “É no desespero que beijamos a mão da escuridão… Na Redenção recebemos o carinho da Divina Criação.” (Fernando Matos). Refletir é entender o ir e vir, sem muito pedir para entender o quanto é bom viver em Gratidão.

 

Fernando Matos 

Poeta Pernambucano

poetapernambucano@hotmail.com

 

 

 

 

 

Tags: