Sandra Vasconcelos: ‘Como é ser criança nos dias atuais?’

13/10/2021 17:46

Sandra Vasconcelos

Como é ser criança nos dias atuais?

Não nascemos adultos. Mas seria bom se nascêssemos adultos e fôssemos ficando jovens com o passar dos anos. Já pensaram nisso?

No tempo das cavernas, o homem reinava soberano; eram heróis valentes e corajosos caçadores, enquanto as mulheres eram coadjuvantes e ficavam isoladas dentro das cavernas com as crianças.

Imagino que as crianças desenhassem e desenvolvessem essas habilidades artísticas.

Acredito que esses desenhos despretensiosos retratassem animais, chuva, sol e caça.

Na antiguidade, o infanticídio não era crime; isso mesmo: NÃO ERA CRIME, as crianças indesejáveis, por serem deficientes, viravam escravas ou eram mortas.

Ao completarem seis anos, os meninos iam para uma espécie de escola militar, onde aprendiam noções de sobrevivência e manusear armas. As meninas eram separadas de suas famílias no começo da adolescência e ficavam morando com outras mulheres até o casamento.

Chegamos aos Celtas, um povo que trabalhava com agricultura e que habitou uma parte da Europa até o ano 500 d.C. crianças deficientes eram abandonadas nas florestas e a infância era muito curta, pois os casamentos aconteciam a partir dos 12 anos de idade. E nesse curto período de infância as crianças Celtas, podiam brincar. As crianças cresciam com liberdade aprendiam sobre as estações, plantas e os animais.

A educação se dava através da oralidade, passavam horas em volta de fogueiras, ouvindo histórias contadas pelas mulheres da comunidade.

Os Vikings (povo que habitava a Escandinávia) tinham noção de família bem desenvolvida e as crianças eram livres e as brincadeiras eram coletivas. Ex. Jogo de bola, jogo de tabuleiro. Deslizavam nos lagos gelados com patins feitos de lâmina de osso.

Na idade média, a infância ficou bem mais curta: durando apenas o tempo da amamentação. Assim que a criança crescia um pouco, já era vestida como um mini adulto. Enquanto isso, na América, as crianças indígenas eram criadas pelo coletivo e seu bem estar era de responsabilidade de todos. Tinham o direito de brincar livres na natureza. A partir do renascimento, no século XVIII, as crianças europeias voltaram a ser reconhecidas e respeitadas. Nascia então, na sociedade moderna a concepção de infância.

Por volta de 1936 a maioria das ruas era de terra e poucas tinham asfalto e nem se pensava em computador e internet.

O celular nem pensar e o telefone poucos possuíam. Havia cartas e os telegramas.

Nas ruas encontrávamos charretes e as carroças, usadas para as cargas.

Nas cidades grandes, existia o bonde, um veículo movido a eletricidade. As viagens eram feitas de trem.

As crianças adoravam brincar de cavalinho de pau e andavam descalças.  O tênis e o sapato eram usados somente para ir ao centro da cidade, à igreja ou a festas.

As crianças desenhavam na terra e eram felizes.

MAS O QUE ERA A INFÂNCIA DE ANTIGAMENTE?

Era uma infância mais leve. Era pedir bênção aos mais velhos, brincar na rua, soltar pipas, tomar banho de chuva, rodar pião, rodar pneu, brincar de roda, cantar, brincar de circo, pular corda, biloquê, jogar pedrinhas, bolinha de gude, varetas, damas, bola, peão, carrinho de rolimã etc.

Não havia computador!

Qual infância foi a melhor, a de hoje ou a de antigamente?

Hoje as crianças só querem os jogos eletrônicos e a TV aberta oferece poucas opções.

Atualmente (século XXI) ser criança significa ter direitos adquiridos, como educação, saúde, e o principal que é o direito à vida, mas as brincadeiras se acabaram.

Antigamente não havia esse direito e a criança enfrentava jornada de trabalho longa e não ia à escola. Hoje foi criado o ECA (Estatuto da criança – Lei nº8069 de 13 de julho de 1990) e a imagem de criança feliz, saudável e inteligente. Mas ainda há desigualdade.

Segundo o IBGE, 30% das crianças pobres ainda estão fora da escola, e muitas trabalham ao invés de estudar.

Antigamente as crianças saíam para brincar na rua, corriam, pulavam, se divertiam, hoje só vemos crianças com celulares, tablets ou assistindo TV.

Consideramos que a infância bem vivida é imprescindível para o desenvolvimento e a aprendizagem da criança, portanto, todas as crianças precisam das brincadeiras e do esporte.

É necessário que nessa fase encantadora, os pais sejam presentes na vida da criança.

Será que um dia todas as crianças do mundo terão seus direitos respeitados?

Que toda infância seja leve e prazerosa e que todo futuro traga em germe todas as possibilidades para ser feliz.

 

Bibliografia: Wikipédia. A enciclopédia livre

Sandra Vasconcelos

 

 

 

 

Tags: