Cíntia Croco: Ansiedade e depressão nos dias de hoje

01/08/2019 09:12

Cíntia Croco

Ansiedade e depressão nos dias de hoje

Imagem extraída da internet

A ansiedade e a depressão são problemas distintos, cada um com suas próprias características, e muitas vezes são até considerados opostos. Porém, na realidade, essas duas condições podem, sim, coexistir em uma mesma pessoa. O fato é que tanto a ansiedade quanto a depressão envolvem comportamentos que atrapalham muito a rotina, gerando um alto prejuízo social, profissional e nos relacionamentos interpessoais de forma geral.

Mas, afinal, a ansiedade leva à depressão ou é o contrário? Não há como saber exatamente. “Muitas vezes os sintomas acontecem simultaneamente e a relação entre eles pode não ser tão simples de ser identificada”. Para tentar traçar esse caminho eu como terapeuta trago a você o exemplo de uma pessoa com depressão. Esse quadro gera uma situação de falta de controle, porque a pessoa se vê triste, sem energia e, mesmo tendo motivos para fazer o que precisa, ela não tem ânimo. Ao passar muito tempo assim, pode-se gerar uma angústia tão grande que pode levar à ansiedade. Da mesma forma, uma pessoa com ansiedade que sofre muito com preocupações excessivas, acaba pensando obsessivamente em uma mesma questão e não consegue regular isso. Então, com o passar do tempo e o sofrimento dessa condição, ela vai ficando debilitada, se achando inferior, menos capaz. Tudo isso vai deixando-a sem esperança, melancólica, chegando então aos sintomas da depressão.

No entanto, reforço que é preciso compreender que existe uma diferença entre ter o sentimento de ansiedade e ter de fato um transtorno ansioso, como transtorno do pânico, fobias, transtorno de ansiedade generalizada e transtorno do estresse pós-traumático, por exemplo. “O sentimento de ansiedade é normal até certo ponto, mas pode se tornar patológico. É um sentimento que pode acontecer tanto nos transtornos ansiosos, quanto na depressão”. Dessa forma, é possível que o sentimento de ansiedade faça parte de um quadro depressivo. Inclusive, eu que atuo há muito tempo nesta área que, praticamente metade dos casos de depressão caminham junto com a ansiedade.

Como saber se tenho depressão ou ansiedade?

Uma pessoa que esteja convivendo com os dois problemas poderá apresentar os sintomas comuns de depressão e de ansiedade, como também pode não ter os sintomas tão explícitos. Inclusive, que existem diversos casos em que o paciente busca ajuda querendo tratar a ansiedade, mas que na verdade essa pessoa tem um quadro depressivo e não sabe. “Já em outros casos, a pessoa tem a depressão e tem a associação de um transtorno ansioso”. Nestes casos a maneira mais segura de conseguir um diagnóstico e, consequentemente, o melhor tratamento é buscando ajuda especializada.

Sintomas

Conheça mais sobre os sintomas de cada uma das condições: – Depressão: é caracterizada por sintomas como humor deprimido, juntamente com a diminuição do prazer, desde as atividades diárias até a perda da libido. Alterações de apetite, como aumento ou diminuição, assim como desregulação do sono também podem ocorrer, além de quadros de fadiga, cansaço, indisposição, sentimento de culpa e inadequação e dificuldade para se concentrar. – Ansiedade: temos como característica a ansiedade em si como conhecemos, a preocupação excessiva, não necessariamente com um foco. Essa preocupação não é controlada pelo indivíduo, é uma invasão da mente. Junto com a ansiedade, pode surgir a inquietação, o nervosismo, a fadiga e o cansaço, além da dificuldade para se concentrar. Também pode haver alterações de sono, mas nesse caso, o sono se torna mais leve e com pouca qualidade. Entre os sintomas físicos, estão a falta de ar, o suor, a mão gelada, boca seca, tontura e náusea.

Como é o tratamento da reprogramação mental para ansiedade?

Uma das grandes vantagens desse tratamento, em relação as terapias convencionais, é o tempo de tratamento. Já nas primeiras sessões, é possível notar sinais de recuperação. Para que você entenda melhor, nas terapias convencionais, o terapeuta tenta encontrar a causa por meio de conversas com o paciente, que muitas vezes também não sabe identificar o causador do problema.

Com esse tratamento, nós auxiliamos o paciente a entrar em um estado de relaxamento profundo. É o chamado transe. O que acontece é a diminuição da frequência cerebral e aumento da concentração. É nesse momento que nós conseguimos acessar ao subconsciente, fazendo com que o paciente encontre o episódio exato em que aquele trauma foi desencadeado.

A partir de então, durante as sessões, é possível fazer com que a pessoa reprograme a sensação negativa para uma positiva. Ela é encorajada, por meio da autoconfiança, a enfrentar a situação e mudar suas percepções em relação ao evento traumático. Esse tratamento para ansiedade portanto, ajuda o paciente a encontrar o evento causador do trauma e trabalhar o consciente de maneira que ele consiga superá-lo.

Superando a ansiedade

A pessoa que antes sofria de ansiedade aprende a sair do estado de alerta, a buscar o relaxamento e o repouso da mente. Dessa forma, os níveis de ansiedade diminuem até deixarem de ser um problema.

E a técnica ainda vai além. Muitos terapeutas auxiliam o paciente a fazer uma reprogramação mental, ou seja, aprender a controlar seus pensamentos de maneira a eliminar atitudes negativas. Dessa forma, ele passa a encarar melhor seus problemas, recuperando assim a qualidade de vida.

 

Cintia Croco

cicroco@gmail.com

 

Tags: