Cia Encontro em Cena estreia HomoShoppiens dia 29 de outubro no Espaço Leão

13/10/2021 18:45
LINK PARA DOWNLOAD DE FOTOS

Com direção geral de Abigail Wimer, o espetáculo HomoShoppiens é fruto de uma longa pesquisa sobre o tema Consumismo e a sociedade do cansaço

Com dramaturgia de Abigail WimerThiago Esperandio e Cia Encontro em Cena, cenário/instalação de Otávio Donasci e composições inéditas de Abigail Wimer e Thiago Esperandio, HomoShoppiens é um convite para um encontro com o essencial em nós. Apesar do tema ser áspero, o espetáculo convida a se enxergar e também a rir de si mesmo.

“As cenas nos ajudam a olhar no espelho. Quem não conhece alguém que se sente exausto no trabalho e questiona se aquela vida traz uma realização? Quem não conhece alguém que está viciado e passa excessivas horas por dia vendo redes sociais? Quem não conhece alguém que faz compras para aliviar as angústias? Quem não conhece a criança que se recusa a comer saudavelmente porque só quer a bolacha com alto teor de açúcar? Quem não conhece pais que sonham com o sucesso de seus bebês recém-nascidos nas redes sociais? Difícil não se reconhecer em muitas cenas”, comenta o compositor Thiago Esperandio.

“Para ilustrar esse mundo do consumismo, o milenar mito da caverna, de Platão, serve como metáfora no espetáculo. Uma caverna onde as pessoas veem sombras e acreditam que se trata do mundo real. No entanto, a caverna de hoje não usa mais a luz do fogo para projetar sombras. A luz vem de celulares e de outras tecnologias.

Na construção dessa caverna de ilusões do século 21, convidei Otávio Donasci como criador da instalação multimídia. Ele arquiteta essa caverna para que possamos vivenciá-la e reconhecê-la como tal” – diz a diretora Abigail Wimer.

 

O espetáculo – por Otávio Donasci

“Senti-me muito animado ao ser convidado para criar a instalação-cenográfica-inflável-multimídia do espetáculo a partir de trabalhos meus desenvolvidos ao longo dos últimos anos. Ao saber que seria baseado na metáfora de Platão, o Mito da Caverna, vislumbrei um casamento perfeito entre minha linguagem de túneis e cavernas infláveis com a vivência do público necessária para entender o conceito da peça na própria pele e não só como espectadores.

O trabalho do grupo vinha se desenvolvendo ao longo de mais de 2 anos para um palco de teatro, espaço totalmente diferente de uma instalação de 100 metros de túnel com vários ambientes.

Tomamos todos os cuidados para a segurança da plateia e dos atores nesses tempos de pandemia que vivemos, pesquisando procedimentos que além de proteger, também fizessem parte da proposta.

O regime de ventilação mantendo sempre um fluxo contínuo de ar em todos os túneis. O fornecimento de equipamentos como sapatilhas descartáveis para o público. O número restrito de 15 pessoas no interior dos túneis, separados dos  atores. Tudo foi pesquisado e experimentado para tirar o máximo proveito da instalação com a maior segurança possível.

Espero que vocês vivenciem o espetáculo na pele e saiam refletindo sobre a urgência do tema nesse momento do nosso planeta.”

 

Sinopse

A sociedade de consumo, por meio de seus jogos de sedução e de forma ininterrupta, nos diz: “consuma para ser feliz”, “compre pra se sentir melhor”, “não importa o que você é, importa o que você tem”.

Diante da promessa de felicidade desta sociedade, consumimos não só mercadorias, mas, também, informações, comportamentos, opiniões e até pessoas! Sim pessoas… e eis que de consumidores, passamos a ser objetos de consumo.

Recebemos incessantes notificações de que estamos perdendo as últimas atualizações das redes sociais. Por mais que “maratonemos”, estamos sempre para trás.

E se tudo isso nos levar à exaustão e à ansiedade, nos são oferecidos produtos que prometem nos livrar da exaustão e da ansiedade.

Mas… e se pararmos? E se nos perguntarmos o que foi feito de nós? E se nos rebelarmos diante de um modelo de sociedade que coloca o lucro acima de nosso bem-estar? E se formos mais Sapiens e menos “Shoppiens”?

 

Ficha Técnica

HomoShoppiens

Cia Encontro em Cena

Direção: Abigail Wimer

Direção Musical: Abigail Wimer

Instalação Multimídia: Otávio Donasci

Direção de Pesquisa e Conteúdo: Abigail Wimer e Thiago Esperandio

Direção de Produção: Alcione Alves

Assistência de Direção: Helena Castro e Alcione Alves

Elenco: Bruna Luisa, Eduardo Lousada, Helena Castro, Lucas Martinez, Maria Bia, Naiara de Castro, Nando Medeiros, Nathan de Castro, Rafael Curátolo, Raíssa Tomasin, Tati Mayumi e Vini Hideki

Composição: Abigail Wimer e Thiago Esperandio

Arranjos: Alê Mihanovich

Trilha Sonora: Abigail Wimer e Alê Mihanovich

Dramaturgia: Abigail Wimer, Thiago Esperandio e Cia Encontro em Cena

Iluminação: Vini Hideki

Figurino: Otávio Donasci

Coreografia Sociedade do Cansaço: Sthé Mascara

Coreografia Euritmia: Kleber Akama

Preparação de Ator Cabaret: Roberta Calsa

Operação de Som: Vidal Bezerra da Silva

Identidade Visual: Tati Mayumi

Social Media: Naiara de Castro e Nando Medeiros

Assessoria de Imprensa: Pombo Correio

Fotografia: Pedro J. Duarte

Captação de Imagem e Som: Pedro J. Duarte e Ricardo Vieira

Cenotécnico: Juanito Cusicanki

Assistentes cenotécnicos: Alohá De La Queiroz, Felix Moisés, José Petrônio e Júlia Cusicanki

Assistente Técnico: Freddy Argote

Produção: Raíssa Tomasin

Gestão de Projeto: Raíssa Tomasin e Alcione Alves

Assistência de Produção: Rafael Curátolo, Françoise Plas, Flávio Nascimento e Liz

REALIZAÇÃO: IMAGEM ESSENCIAL

 

Serviço

HomoShoppiens

Cia Encontro em Cena

De 29 de outubro a 28 de novembro

Sextas e sábados às 20h, domingos às 19h

Espaço Leão: Rua Leão XIII, 243 Jardim São Bento

Ingressos: R$ 40,00 inteira e R$ 20,00 meia

Lotação máxima: 15 pessoas

Classificação indicativa: 14 anos

Compra de ingressos exclusivamente pelo Whatsapp: (11)96085-6185 – Raíssa

Orientamos para que venham com sapatos confortáveis e sem mochilas e bolsas volumosas. Não é permitida a entrada na instalação com sapatos de salto.

 

SINOPSE CURTA

O espetáculo HomoShoppiens propõe ao público uma travessia pelas entranhas de uma sociedade consumista que, por meio de seus jogos de sedução, nos diz: “consuma para ser feliz”, “compre pra se sentir melhor”, “não importa o que você é, importa o que você tem”.

HomoShoppiens busca tirar o véu que enfeita a face de um mundo em que tudo deve ser consumido irrefletidamente: desde mercadorias, informações, comportamentos, opiniões, até pessoas! Sim, pessoas… e eis que de consumidores passamos a ser objetos de consumo.

Mas… e se pararmos? E se nos perguntarmos o que foi feito de nós? E se nos rebelarmos diante de um modelo de sociedade que coloca o lucro acima de nosso bem-estar? E se formos mais Sapiens e menos “Shoppiens”?

HomoShoppiens é um convite para um encontro com o essencial em nós.

Tags: