Célio Pezza: ‘Profecias e livre arbítrio’

26/01/2022 16:18

Célio Pezza

Crônica # 498: Profecias e livre arbítrio

Profecias são a percepção de fatos que têm uma probabilidade de ocorrer no futuro, em vista dos acontecimentos presentes. Na verdade, a profecia é uma hipótese, altamente provável, se nada for alterado, mas não é uma coisa definitiva e imutável. São vislumbres do futuro, mas têm as suas causas no tempo em que foram ditas ou escritas. Como existem várias linhas temporais, é possível, para determinadas pessoas, entrar em sintonia com alguma linha do futuro e ter alguns vislumbres de acontecimentos futuros, projetados em função dos acontecimentos atuais. Os acontecimentos futuros também dependem da posição do observador no momento desse vislumbre. Se supomos que existem dimensões e linhas de tempo, é possível esses vislumbres do passado e também do futuro. Vamos imaginar uma alta montanha e uma estrada circundando todo seu redor, com um observador no topo da estrada, observando os que estão transitando pelo caminho cheio de curvas. Vamos supor que logo após uma curva, existe uma ponte recém-destruída e quem vier desatento pela estrada, vai fatalmente cair no abismo. No caso, esse observador sabe o destino do motorista incauto, simplesmente pela sua posição. Vamos supor que ele mande um sinal para o motorista dizendo para ele reduzir a velocidade ou mesmo parar, pois vai cair no abismo. O motorista que recebe esse sinal pode não dar atenção e logo adiante, cair no abismo. Ele teve o livre arbítrio para fazer o que quiser, e mudar o seu destino. Ele só não pode alegar que foi vítima de uma fatalidade, pois não deu importância para o aviso e caiu. No passado, tivemos o caso, aqui no Brasil, de um avião que acusou um defeito no reversor por alguns segundos durante uma decolagem, logo voltando ao normal. Este avião fez uma escala e tudo aparentemente estava normal, mas no próximo voo, durante uma nova decolagem, o reversor deu o mesmo defeito e o avião caiu, matando todos os seus ocupantes. Isso não foi fatalidade nem determinismo. Foi uma escolha errada. Na época alguém avisou mas não deram atenção ao aviso. Assim são com as profecias; alguém, de alguma forma, vê a probabilidade do que pode acontecer e avisa. Nós temos o livre arbítrio para mudar o rumo ou continuar e cair, cumprindo a profecia. No caso das profecias do Apocalipse é a mesma coisa; nós fomos avisados do final e podemos mudá-lo mas, se nada fizermos, elas se cumprirão. É uma lei cósmica de causa e efeito ou colhemos o que plantamos. O livre arbítrio se opõe ao determinismo, contra o qual não existem escolhas. Nós sempre temos escolhas e decidimos o nosso futuro. Certa vez, um pregador falou que a lei divina, observando o passado e o presente dos homens, determina o seu futuro. Mesmo nesse caso, existe o livre arbítrio, que poderá mudar o final desse futuro. Muitas vezes, o livre arbítrio se confunde com liberdade, porém Santo Agostinho diferenciou esses conceitos. Ele diz que livre arbítrio é a possibilidade de escolher entre o bem e o mal, ou entre várias opções, enquanto a liberdade é o bom uso do livre arbítrio.

 

Célio Pezza     janeiro, 2022   celiopezza@yahoo.com.br

 

 

 

 

 

 

Tags: