Célio Pezza: ‘ONU – Para que serve?’

01/07/2020 14:04

 

Celio Pezza

Crônica # 428: ONU – Para que serve?

Em 26 de junho de 1945, na cidade de São Francisco, EUA, representantes de 50 países, assinaram a Carta de São Francisco, criando a ONU, para manter a paz mundial. Essa carta entrou em vigor no dia 24 de outubro do mesmo ano, com o seguinte slogan: Nós, os povos das Nações Unidas, unidos para um mundo melhor. Os propósitos e princípios da ONU são: Manter a paz e a segurança internacionais, promover medidas efetivas para evitar ameaças à paz e reprimir atos de agressões ou qualquer outra ruptura da paz. Desenvolver relações amistosas entre as nações, baseadas no respeito ao princípio de igualdade de direitos. Conseguir uma cooperação internacional para resolver os problemas internacionais de caráter econômico, social, cultural ou humanitário, sem distinção de raça, sexo, língua ou religião. Ser um centro destinado a harmonizar a ação das nações para a conquista desses objetivos comuns. Hoje, decorridos 75 anos de sua criação, vemos, com tristeza, que ela não cumpre com seus objetivos principais. Se a ONU estivesse preocupada com os Direitos Humanos de todos os povos, deveria intervir na Venezuela, na Síria, nos ataques de Israel na Faixa de Gaza e em muitos outros lugares onde não existe o mínimo respeito à vida humana. Podemos até dizer que a ONU, atualmente, é mais uma organização política geradora de reuniões, relatórios, jantares, comemorações entre seus membros, grande desperdício de dinheiro e que mantém perto de 40 mil funcionários no seu Secretariado, cuidando de sua administração no dia a dia. Sua recente indicação para o mundo é que alguns termos sejam substituídos para assegurar uma linguagem neutra de gênero. Por exemplo, namorado ou namorada por parceiro, marido e esposa por cônjuge, bombeiro por combatente do fogo e assim por diante. A ONU tem um Conselho de Segurança expectador de genocídios em várias partes do mundo e muitos países em desenvolvimento a acusam de ser um órgão antidemocrático e dominado pelos países ricos. Além de não fazer nada que vá ao encontro dos objetivos de sua criação, ainda é acusada pela organização britânica Save the Children, de cometer abusos sexuais contra crianças no Haiti, Costa do Marfim, Sudão e outros países, onde os funcionários da própria ONU estariam cometendo ou acobertando esses crimes. De acordo com o jornal britânico The Guardian, a ONU gastou mais de US$ 500 bilhões desde a sua criação, o que é um absurdo se consideramos os seus resultados.

Resumindo, a ONU é um órgão sem nenhuma força para cumprir seus objetivos e que serve para impor a vontade de alguns membros sobre o resto do mundo. Se a ONU fosse extinta hoje, provavelmente ninguém realmente preocupado com a humanidade sentiria sua falta; pelo contrário, aplaudiriam a sua extinção. Interessante que a própria ONU emitiu um relatório onde apontou que para acabar com a pobreza extrema no mundo, precisaria ser investido US$ 270 bilhões em áreas rurais e urbanas, ou seja, o que ela já gastou seria suficiente para acabar com o sofrimento de grande parte da população. Fechar a ONU e destinar toda a sua arrecadação para o combate à fome seria uma grande vitória da humanidade.

 

Célio Pezza     celiopezza@yahoo.com.br     Julho, 2020

 

 

 

 

 

 

 

Tags: