Célio Pezza: ‘Maçonaria’ – Parte 3 de 3

16/11/2020 12:50

Célio Pezza

Crônica # 502: Maçonaria – Parte 3 de 3

POR QUE A MAÇONARIA USA SÍMBOLOS?

 Os símbolos são utilizados, pois a comunicação é imediata. Um exemplo de símbolos utilizados no nosso dia a dia são os sinais de trânsito. A Maçonaria tem inúmeros símbolos, mas a combinação do ESQUADRO com o COMPASSO é o mais conhecido. De certa forma, é a marca registrada da Fraternidade e quando você vê este símbolo em um edifício, sabe que ali se reúnem maçons. O ESQUADRO simboliza as coisas da terra e também simboliza honra, integridade, veracidade, retidão e outros adjetivos que devem estar em nossas relações com o mundo. O COMPASSO simboliza coisas do espirito, e a importância de ter uma vida espiritual bem estruturada. Também simboliza o autocontrole e de manter dentro dos limites.  O ESQUADRO e o COMPASSO simbolizam também a materialidade do homem e sua espiritualidade. A letra G representa a Geometria, ciência que os antigos acreditavam mais revelar a glória de Deus, o Grande Arquiteto Do Universo e suas obras nos céus.

 

MAÇONARIA EM DIVERSOS PAÍSES

É sabido que a Maçonaria, apesar de universal em sua filosofia, tem diferentes características nos diversos países. Enquanto as nações Anglo-saxônicas, sob os governos protestantes, progrediram sem restrições, as latinas e alguns países da Europa, sob o governo de católicos, sofreram perseguições, e seus membros foram obrigados a viver na clandestinidade. A Maçonaria brasileira veio da corrente latina e, muitos de seus membros, ainda hoje, sentem-se como clandestinos. Disto resulta a fama da Maçonaria ser uma organização secreta, com todas as implicações depreciativas que esta palavra implica. Nos Estados Unidos, existem folhetos impressos espalhados nas Lojas, com muitas informações, para ser distribuído entre os interessados em conhecer a Maçonaria. Explicam que o ingresso na Ordem é um compromisso sério, e o candidato tem o direito de conhecer algo a respeito, antes de decidir pelo seu ingresso, caso seja convidado. Ele assiste vídeos explicativos e discute o assunto com sua família. Já em alguns países, o candidato entra sem saber nada a respeito de onde entrou. O Brasil, com seus métodos arcaicos, gasta muita energia para manter os irmãos em suas Lojas e muitos ainda se sentem mais seguros se menos pessoas souberem a respeito da Maçonaria. Essa é uma grande diferença e não podemos nos admirar que a Maçonaria inglesa e americana tenha milhares de membros, sempre presentes nas grandes decisões em todos os níveis do país.

 

Célio Pezza   celiopezza@yahoo.com.br     novembro, 2020

 

Célio Pezza: ‘Maçonaria’ – Parte 1

Célio Pezza: ‘Maçonaria’ – Parte 2 de 3

 

 

 

 

Tags: