Articles by: Sergio Diniz da CostaSergio Diniz da Costa
SERGIO DINIZ DA COSTA, natural de Sorocaba (SP), é escritor, poeta, radialista, revisor de livros, um dos editores do Jornal Cultural ROL, Editor de Literatura do Internet Jornal e Acadêmico Correspondente da FEBACLA - Federação Brasileira dos Acadêmicos das Ciências, Letras e Artes. Autor dos livros: Elegantia juris: o argumento eloquente; Etéreas: meus devaneios poéticos; Etéreas: um novo horizonte; Pensamentos soltos na brisa das tardes - vols. 1 e 2; O menino que brincava nas nuvens e Mariposas e borboletas. Foi jurado nos seguintes concursos literários: Mapa Cultural do Estado de São Paulo (2007); 68.º Concurso Paulo Setúbal de Poesias, Contos e Crônicas, promovido pela Prefeitura de Tatuí/SP (2009); Concurso Literário Nacional ‘Prof. Armando Oliveira Lima’ (2017 e 2018); 1º Concurso de Poesia Junina 2018 e do 1º Concurso Literário de Crônicas da ASPAMS – Associação dos Professores da Rede Pública de Sorocaba (2018). Em 2018, recebeu o título Livro de Ouro da COBLAC - Corte Brasileira de Letras, Artes e Ciências e foi vencedor da enquete Melhores do Ano 2017 em Sorocaba, promovida pelo Jornal Cultural ROL, nas categorias Melhor Agitador Cultural, Melhor Revisor de Livros e Melhor Web Editor. Em 2019, foi vencedor da mesma enquete, referente ao ano de 2018, nas categorias Melhor Apresentador de Shows e Eventos, Melhor Cerimonialista e Melhor Revisor de Textos. No mesmo ano, foi agraciado com o título de EMBAIXADOR DA PAZ E MEDALHA GUARDIÃO DA PAZ E DA JUSTIÇA, outorgado pelo Supremo Consistório Internacional dos Embaixadores da Paz e, pela FEBACLA, a Medalha Notório Saber Cultural e a Medalha Mérito Acadêmico, bem como a mais alta comenda da mesma entidade: Comenda Láurea Acadêmica Ouro. Ainda em 2019, recebeu os títulos DOUTOR HONORIS CAUSA EM LITERATURA e DEFENSOR PERPÉTUO DO PATRIMÔNIO E DA MEMÓRIA HISTÓRICA DE SOROCABA, outorgados pelo Centro Sarmathiano de Altos Estudos Filosóficos e Históricos e foi homenageado pelo CCTN - Centro Cultural de Tradições Nordestinas de Sorocaba e Região.

Escola Coronel Esmédio, de Porto Feliz, promove passeio ciclístico para alunos

20/04/2017 18:31
Escola Coronel Esmédio, de Porto Feliz, promove passeio ciclístico para alunos

 ESCOLA CORONEL ESMÉDIO, DE PORTO FELIZ, PROMOVE PASSEIO CICLÍSTICO PARA ALUNOS

O leitor participa: Manoel Peres Sobrinho com o poema ‘Os livros’

13:52
O leitor participa: Manoel Peres Sobrinho com o poema ‘Os livros’

Manoel Peres Sobrinho (Votorantim) ‘OS LIVROS’

Élcio Mário Pinto: ‘Parabéns, ROL!’

09:55
Élcio Mário Pinto: ‘Parabéns, ROL!’

Élcio Mario Pinto ‘PARABÉNS, ROL!

Aos 23 anos, o jornal ROL cresce, a cada dia, em qualidade e quantidade

09:28
Aos 23 anos, o jornal ROL cresce, a cada dia, em qualidade e quantidade

AOS 23 ANOS, O JORNAL ROL CRESCE, A CADA DIA, EM QUALIDADE E QUANTIDADE

Élcio Mário Pinto: ‘Inté, nhô Bosco! A surpresa e as esquinas’

18/04/2017 20:33
Élcio Mário Pinto: ‘Inté, nhô Bosco! A surpresa e as esquinas’

Élcio Mário Pinto ‘Inté, nhô Bosco! A surpresa e as esquinas’

Livro recomendado pelo ROL: ‘Vadios e imorais: Preconceito e discriminação em Sorocaba e Médio Tietê’, de Carlos Carvalho Cavalheiro

00:27
Livro recomendado pelo ROL: ‘Vadios e imorais: Preconceito e discriminação em Sorocaba e Médio Tietê’, de Carlos Carvalho Cavalheiro

Livro recomendado pelo ROL: ‘Vadios e imorais: Preconceito e discriminação em Sorocaba e Médio Tietê’, de Carlos Carvalho Cavalheiro

Carlos Carvalho Cavalheiro: ‘O desafio de ser inovador’

00:02
Carlos Carvalho Cavalheiro: ‘O desafio de ser inovador’

Carlos Carvalho Cavalheiro: ‘O desafio de ser inovador’

Sergio Diniz da Costa: ‘O jornal: da Roma antiga à era eletronica’

17/04/2017 12:18
Sergio Diniz da Costa: ‘O jornal: da Roma antiga à era eletronica’

Sergio Diniz da Costa O JORNAL: DA ROMA ANTIGA À ERA ELETRÔNICA

Sônyah Moreira: ‘ ROL de amizades’

16/04/2017 19:24
Sônyah Moreira: ‘ ROL de amizades’

Sônyah Moreira: ‘ROL de Amizades’

Jorge Fakury: ‘A primeira vez a gente nunca esquece’

16:39
Jorge Fakury: ‘A primeira vez a gente nunca esquece’

Jorge Facury: ‘A primeira vez a gente nunca esquece’