Articles by: Jairo ValioJairo Valio
JAIRO VALIO nasceu na vizinha cidade de Pilar do Sul, mas foi para Sorocaba com apenas 14 anos, onde formou-se Técnico em Contabilidade. Trabalhou em diversas Instituições Financeiras durante 38 anos como Gerente, tendo aposentado no Banco Safra S/A. É membro efetivo da Academia Sorocaba de Letras, ocupando a cadeira n. 14 e da Academia Poçoense de Letras e Artes de Poções, Bahia, ocupando a cadeira n. 25. Escritor, pesquisador e poeta, é autor do livro ‘Nascente das Águas’, livro auto-biográfico e histórico, contando a história da cidade onde nasceu, e de Sorocaba. Participou de 2 edições da coletânea ‘Roda Mundo’, da coletânea ‘Um Olhar sobre Sorocaba’; de 4 edições da coletânea do Sorocult e 04 do Sorocultinho, livrinhos de literatura infantil. Faz parte do Grupo Literário Coesão Poética, do site literário Recanto das Letras e tem uma página no Facebook com o título “Vovô Poeta” com muitas postagens de poesias de amor. É membro fundador do Clana- Clube Literário e Artístico Nascente das Águas de sua cidade natal. Escreveu crônicas em jornais de Sorocaba e Pilar do Sul. Trabalha em projetos sociais como voluntário na Pastoral do Menor e no Lar São Vicente de Paulo. Por sua atuação em projetos sociais, foi agraciado em 21-06-2002 com o título de Cidadão Sorocabano, conferido pela Câmara Municipal de Sorocaba.

Jairo Valio: ‘Amar é…’

09/01/2019 10:21
Jairo Valio: ‘Amar é…’

“Daí vem as magias deste imensurável mundo,/ Que mudam pensamentos e tiram brutalidades,/ Tornando calmo quem tinha suas virulências,/ Pois a jovem que lhe despertou para o amor,/ Tem nos lábios um sorriso tão lindo e meigo,/ E nos toques a maciez de uma pétala de rosa.”

Jairo Valio: ‘O anjinho que querida brincar’

31/12/2018 16:02
Jairo Valio: ‘O anjinho que querida brincar’

“Gabriela era o nome do Anjinho sapeca,/ Parecendo uma criança que queria brincar,/ E diante de tantas reclamações que ouvia,/ Deus lhe deu tarefas para na terra cumprir/ E com as criancinhas que sofrem fazê-las sorrir.”

Jairo Valio: ‘Cantar da passarada’

25/12/2018 18:18
Jairo Valio: ‘Cantar da passarada’

“O cantar da passarada,/ Do sabiá e do bem-te-vi,/ Tudo que a mãe contava,/ Isso eu nunca esqueci,/ Que co cantar dos passarinho,/ Fez o meu medo sumi.”

Jairo Valio: ‘Ah, se eu pudesse…’

14/12/2018 21:44
Jairo Valio: ‘Ah, se eu pudesse…’

“Gostaria de ser o jardineiro do amor,/ Plantando flores em todos os jardins,/ Regando-as para que florescessem,/ E depois que estivessem viçosas,/ Em cada coração uma plantasse,/ Para abrandar os temperamentos.”

Jairo Valio: ‘Minha essência’

17/11/2018 19:03
Jairo Valio: ‘Minha essência’

“Não desejo riquezas materiais,/ Que corrompem pelas ambições,/ E se precisar carregar meus fardos,/ Não importa ter chinelos rotos,/ Nem roupas rasgadas para aquecer.”

Jairo Valio: ‘Momentos’

04/11/2018 22:16
Jairo Valio: ‘Momentos’

“Desperta magnífica a natureza,/ As flores destilam seus perfumes,/ Os pássaros em alaridos,/ Buscam seu espaço no céu,/ Em busca de alimento.”

Jairo Valio: ‘Talvez num sonho’

19/07/2018 13:30
Jairo Valio: ‘Talvez num sonho’

“Teria eu mergulhando em fantasia,/ Um corpo estressado por lamúrias/ e brutal e assustadora tristeza?/ É tanta e cruel a virulência do homem,/ que num momento de sonho, pensei não existir.”