Arvelos Vieira: ‘Magistrados da Suécia’

08/05/2019 23:38

Arvelos Vieira

“Os do BRASIL são chamados de MAGISTRADOS; os da SUÉCIA, deveriam ser chamados de MAGISTRAIS. Com a demonstração do respeito que eles possuem com o erário público torna-se uma injustiça eles serem igualados aos daqui!”

Um dos 16 Magistrados do alto escalão do Supremo Tribunal Federal da Suécia, utiliza-se de uma bicicleta todos os dias para chegar até a estação ferroviária, onde embarca em um trem para o seu trabalho, na capital Estocolmo. Ele é um dos defensores da ‘tolerância zero’ contra a corrupção na Suécia. Todo ano ele aparece na lista dos países menos corruptos do mundo. – “O que garante uma sociedade mais limpa é a transparência dos atos oficiais do Poder e a eterna vigilância contra impunidade”, diz o magistrado.

Assim como os políticos do país, os juízes suecos não tem imunidade e nem foro privilegiado. Podem ser processados como qualquer cidadão comum. Eles são proibidos de aceitar viagens e presentes e não existe registro de casos de juízes envolvidos em suborno ou venda de sentença. Qualquer cidadão pode checar as contas dos Tribunais, os ganhos dos juízes, atas judiciais. Os processos em andamento também são disponibilizados ao público.

Os juízes da Suécia ganham salários que variam entre 12 a 25 mil reais, mas não tem direito a nenhum benefício extra. Gratificações como auxilio transporte, auxilio a saúde, abonos, prêmios, bolsa estudo para os filhos e verbas de representação não existe. Juízes e desembargadores também não tem direito a carro oficial, motorista e nem secretária particular. O magistrado sueco não tem apartamento funcional e nem auxílio moradia. O Juiz do Supremo paga do próprio bolso a casa de 120 metros quadrados onde mora, a cerca de uma hora da capital Estocolmo. O magistrado disse que o salário que ele ganha é o suficiente para pagar as próprias despesas e que luxo pago com dinheiro do contribuinte seria imoral!”

Viram porque eles deveriam ser referenciados como MAGISTRAIS?

MAGISTRADOS DO BRASIL

Além de AUXÍLIO MORADIA – AUXÍLIO SAÚDE (Verba fixa mensal de quase 3 mil, sem precisar apresentar comprovante, ou seja, ninguém da família ficou doente? Os 3 mil vira “auxílio festança”) – AUXÍLIO EDUCAÇÃO (para os filhotinhos de 8 a 24 anos) – AUXÍLIO LIVRO – AUXÍLIO PALETÓ – VEÍCULO OFICIAL COM MOTORISTA – SECRETÁRIA PARTICULAR (dá para contratar uma de “mesa, cama e banho”), e certamente outras coisas aqui não citados.

E agora vem o mais absurdo: Os nossos ilustres Ministros do STF possuem verba disponível de R$ 1,2 milhão para se fartarem do cardápio que compõe a CESTA BÁSICA do, pasmem, maior órgão da Nação, que tinha por obrigação, cuidar dos interesses da população, com respeito, dignidade e devoção.

Vejam a relação das iguarias que eles desfrutam com o dinheiro do contribuinte, veja que acinte: Bobó de camarão, camarão à baiana e “medalhões de lagosta com molho de manteiga queimada”. Exige ainda que sejam colocados à mesa bacalhau à Gomes de Sá, frigideira de siri, moqueca (capixaba e baiana), arroz de pato. Tem ainda vitela assada; codornas assadas; carré de cordeiro, medalhões de filé e “tournedos de filé”, com molho de mostarda, pimenta, castanha de caju com gengibre. Os vinhos, se for vinho tinto fino seco tem de ser Tannat ou Assemblage, contendo esse tipo de uva, de safra igual ou posterior a 2010 e que “tenha ganhado pelo menos 4 (quatro) premiações internacionais”. “O vinho, em sua totalidade, deve ter sido envelhecido em barril de carvalho francês, americano ou ambos, de primeiro uso, por período mínimo de 12 (doze) meses”. Se a uva for tipo Merlot, só serão aceitas as garrafas de safra igual ou posterior a 2011 e que tenha ganho pelo menos quatro premiações internacionais. Nesse caso, o vinho, “em sua totalidade, deve ter sido envelhecido em barril de carvalho, de primeiro uso, por período mínimo de 8 (oito) meses”. Para os vinhos brancos, “uva tipo Chardonnay, de safra igual ou posterior a 2013”, com no mínimo quatro premiações internacionais. A caipirinha deve ser feita com “cachaça de alta qualidade”, leia-se: “cachaças envelhecidas em barris de madeira nobre por 1 (um) ou 3 (três) anos.” Destilados, como uísques de malte, de grão ou sua mistura, têm que ser envelhecidos por doze, quinze ou dezoito anos. “As bebidas deverão ser perfeitamente harmonizadas com os alimentos”, assim descreve o edital. Divulgado pelo Supremo Tribunal Federal – STF na sexta-feira, 26 de Abril, informações sobre um pregão eletrônico para “serviços de fornecimento de refeições institucionais”, gasto esse que é permitido chegar em até 1,134 milhão de reais. O serviço se refere à contratação de um fornecedor para as refeições servidas pela Corte, conforme suas necessidades. NECESSIDADES????

QUE CONCLUSÃO PODEMOS TIRAR?

EXEMPLOS, exemplos maravilhosos que nos dão os MAGISTRAIS da Suécia. Que DIGNIDADE, que POSTURA, que RESPEITO eles tem para com a Sociedade que lhes paga. Certamente eles são RESPEITADÍSSIMOS, o que os fazem, com louvor, o recebimento e tratamento de EXCÊLÊNCIA com muita justiça, por “excelência”.

Os nossos MAGISTRADOS deveriam se envergonhar com a postura dos seus colegas, os MAGISTRAIS DA SUÉCIA. Não que devam se moldar a vida que eles levam, seria pedir demais, mas, pelo menos 50% da mordomia deveriam abrir mão, não apenas eles, do Poder Judiciário, mas da mesma forma os “podres” poderes Legislativo e Executivo, em respeito à sociedade brasileira, que vive uma realidade totalmente oposta a ILHA DA FANTASIA DE BRASÍLIA.

São exemplos assim que fazem da SUÉCIA um país de PRIMEIRO MUNDO, enquanto os exemplos que conhecemos aqui no Brasil, infelizmente o torna um dos países mais IMUNDOS DO SUBMUNDO.

 

Arvelos Vieira

arvelosvieiraneto@gmail.com

 

Tags: