Artigo de José Coutinho de Oliveira

27/08/2016 20:35

A filosofia antiga grega tem mais enredo (conteúdo) do que a nossa vã filosofia pode imaginar.

Crátilo por exemplo, segundo Aristóteles e Diógenes Laércio, foi professor de Platão.
Era discípulo de Heráclito e professava como o mestre o mobilismo, ou seja, a crença de que tudo está em contínua mudança.
Heráclito defendia que tudo está em constante mutação (panta rei – tudo flui).
Heráclito afirmava dentre outras coisas que não se pode mergulhar duas vezes no mesmo rio.
Crátilo a seu turno levou ao extremo esse conceito e afirmou que não se pode mergulhar nem mesmo uma única vez, porque a água que molha a ponta do pé não será a mesma que molha o calcanhar.
Já Parmênides de Eleia, Itália meridionalo defendia o imobilismo, de que o movimento não existe.
Foi fundador portanto da escola eleata, mestre de Zenon de Eleia.
Segundo Parmênides tudo ou é ou não é, é a filosofia do ser que é e do não ser que não é.
Parece também que para ele o ser pode ser e não ser ao mesmo tempo, ou seja, o que estamos escrevendo nesse momento é um artigo, não é uma crônica.
Crátilo é também o nome de um diálogo de Platão que trata da linguagem.
Sobre Heráclito vale ainda lembrar que renunciou ao trono de rei em favor do seu irmão.
José Coutinho de Oliveira
Tags: