Afrânio Mello: informações sobre a família BASTOS

31/03/2019 23:44

Afrânio Franco de Oliveira Mello

ATENDIMENTO NÚMERO 1119

Prezado Hercy, boa tarde.

Essa busca você pode fazer entrando pela Internet em Cabeceira de Basto, Portugal e solicitar a emissão

de uma cópia da certidão de nascimento do seu bisavô.

Envio a primeira busca na Internet em Cabeceira de Basto.

Veja você que tem inúmeros endereços para vocês pesquisar.

Entre na Prefeitura e nos Cartórios que eles o atenderão e muito bem.

Outros já conseguiram em outras cidades.

O arquivo do sobrenome BASTOS que tenho é pequeno e não encontrei nele nenhum dos

nomes que você informa.

Tampouco não encontrei entrada na Hospedaria dos Imigrantes de São Paulo.

Segue o arquivo :

BASTOS………….. 3 páginas e 2 brasões.

Você pode pesquisar ai em Fortaleza, um atestado de óbito ( 13.02.1912, em Fortaleza/CE/Brasil )

Veja depois da pesquisa da Internet o arquivo.

Abraços

Afrânio Franco de Oliveira Mello
afraniomello@itapetininga.com.br

Observação:
“Estas informações estão sendo fornecidas gratuitamente
e serão publicadas na edição virtual do Jornal Cultural
ROL – (www.jornalrol.com.br).
A não concordância com esta publicação deve ser informada imediatamente.
Gratos”

 

 

Bastos

tem este nome de raízes toponímicas, tirado que foi do de Cabeceiras de Basto. O fundador da família é dito pôr alguns genealogistas ter sido Dom Gomes Viegas de Basto, que provinha dos Barrosos, pelo que esta família usou as armas deste.

Parece provir do nome de um sítio habitado por pluralidade de membros de uma família de sobrenome Bastos, do lat. vastu, deserto (Antenor Nascentes, II, 39). Sobrenome que se tomou do concelho de Basto, onde esta família tivera o seu solar (Sanches Baena, II, XXV). Portugal: o genealogista, magistrado e escritor Cristóvão Alão de Moraes [1632-], em sua valiosa obra Pedatura Lusitana-Hispanica, composta, em 1667, dedica-se ao estudo desta família [Alão de Moraes, Pedatura, V, 2º, p. 317; VI, 2º, p. 307]. Felgueiras Gayo, principia esta família em D. Gomes Viegas de Bastos, que viveu em tempo dos reis D. Afonso II [f.1223], D. Sancho II [f.1248] e D. Afonso III [f.1279] (Gayo, Bastos, Tomo V, 161). Brasil: Numerosas foram as famílias, que passaram com este sobrenome para diversas partes do Brasil em várias ocasiões. Não se pode considerar que todos os Bastos existentes no Brasil, mesmo procedentes de Portugal, sejam parentes, porque são inúmeras as famílias que adotaram este sobrenome pela simples razão de ser de origem geográfica, ou seja, tirado do lugar de Basto. O mesmo se aplica no campo da heráldica; jamais se pode considerar que uma Carta de Brasão de Armas de um antigo Basto, se estenda a todos aqueles que apresentam este mesmo sobrenome, porque não possuem a mesma origem. Sobrenome de uma família de origem portuguesa, estabelecida no Brasil, onde chegou, em 03.11.1882, a bordo do vapor Argentina, José Antonio Bastos, natural de Portugal, procedente de Lisboa, católico, 33 anos de idade, com destino à capital do Estado de São Paulo[Hospedaria dosImigrantes – São Paulo, Livro 001, p. 049 – 03.11.1882]. Sobrenome de uma família de origem portuguesa, estabelecida no Brasil, onde chegou, em 09.01.1883, a bordo do vaporBahia, Cypriano Bastos, natural de Portugal, procedente de Lisboa, católico, 22 anos de idade, com destino à capital do Estado de São Paulo [Hospedaria dos Imigrantes – São Paulo, Livro 001, p. 077 – 09.01.1883]. Sobrenome de uma família de origem portuguesa, estabelecida no Brasil, onde chegou, em 01.11.1883, a bordo do vapor Rio Prata, Manoel Alves Bastos, natural de Portugal, procedente de Lisboa, 19 anos de idade, com destino a Campinas, Estado de São Paulo. Veio em companhia de João Alves Bastos, natural de Portugal, procedente de Lisboa, 25 anos de idade [Hospedaria dos Imigrantes – São Paulo, Livro 001, p. 168 – 11.01.1883]. Sobrenome de uma família de origem portuguesa, estabelecida no Brasil, onde chegou, em 21.05.1884, Antonio de Sousa Bastos, natural de Portugal, procedente de Lisboa, 38 anos de idade, com destino a São Carlos, Estado de São Paulo. Veio em companhia de sua esposa, Maria Bastos, natural de Portugal, procedente de Lisboa, 29 anos de idade, e dos filhos: 1. Alfredo, natural de Portugal, procedente de Lisboa, 6 anos deidade; 2. Maria, natural de Portugal, procedente de Lisboa, 4 anos de idade; 3. Sophia, natural de Portugal, procedente de Lisboa, 2 anos de idade [Hospedaria dos Imigrantes – São Paulo, Livro 002, p. 050 – 21.05.1884]. No Rio de Janeiro, entre as mais antigas, temos a de João de Basto (c.1629 – 1698, RJ), que deixou larga descendência do seu casamento comAntônia Ribeiro (c.1639 – 1720, RJ) (Rheingantz, I, 242). Na Bahia, procedem do Visconde de Fiaes, Luiz Paulo de Araújo Basto (1794, Rio de Janeiro – 1863, Bahia), filho de conde de Funchal, Manuel de Araújo e Silva e de Maria Luiza de Albuquerque Barros e Basto. Foi casado, na Bahia, duas vezes, na família Viana Bandeira. No Ceará, entre as mais importantes, registra-se a de Antônio José Pereira Bastos [1839, Viana do Castelo, Portugal- 1912, CE], que, em 1861, se estabeleceu, em Fortaleza, onde deixou larga descendência. Em Mato Grosso, entre outras, registra-se a do Major José Aureliano Xavier Bastos [n.Parnaíba], casado por volta de 1855, com Ana Luiza da Conceição Barata [n.MT]. Família estabelecida no Paraná, à qual pertence o Capitão Antônio José Leite Bastos, falecido antes de 1821, que deixou geração do seu casamento com Emília Maria do Rosário. Foram pais de Manuel, Antônio, Josefa, Francisco, Maria e Ricardo (Rheingantz, TC-17). Família estabelecida no Rio Grande do Sul, à qual pertence o Capitão Antônio José de Almeida Bastos, falecido antes de 1818, que deixou geração do seu casamento com Bernardina Cândida de Menezes. Foram pais de João, José, Maria Cândida, Rita Angélica, Bernardina, Ana Leonor, Francisca e Leonor (Rheingantz, TC-22).

Cristãos Novos: Sobrenome também adotado por judeus desde o batismo forçado à religião Cristã, a partir de 1497. Houve uma família com este sobrenome, condenada por judaísmoem 1741 (Raizes Judaicas, 86).

Heráldica: em campo de ouro, três troncos com seus esgalhos de sua cor, postos em bandas. Timbre: os mesmos troncos em roquete, atados com uma fita de ouro (Sanches Baena, II, 25).

 

 

Basto ( de Egas Câmara)

sobrenome de uma família de origem espanhola, estabelecida no Brasil, onde chegou, em 17.11.1883, a bordo do vaporSempione, Silveiro Basto, natural da Espanha, procedente de Vigo, 19 anos de idade, com destino a Santos, Estado de São Paulo [Hospedaria dos Imigrantes – São Paulo, Livro 001, p. 173 – 27.11.1883]. Sobrenome de uma família de origem italiana, estabelecida no Brasil, onde chegou, em 14.03.1884, Casemiro Basto, natural da Itália, procedente de Genova, 29 anos de idade, com destino à capital do Estado de São Paulo [Hospedaria dos Imigrantes – São Paulo, Livro 002, p. 022 – 14.03.1884]. Heráldica: um escudo em campo vermelho, com cinco leões de prata faixados de três peças de ouro enxequetadas de vermelho, de três tiras. Timbre: um leão do escudo.

 

Bastos Antunes, antiga família de origem portuguesa estabelecida em São Paulo, para onde passou Antônio de Bastos Antunes, natural de Portugal, falecido em 1753. Deixou numerosa descendência do seu casamento, por volta de 1731, com Maria Barbosa de Lima, filha de Domingos Machado de Lima e de Branca Raposo, e bisneta do Capitão Diogo Barbosa do Rego, patriarca da família Barbosa do Rêgo (v.s.), de São Paulo.

Armas

Possuem dois brasões As mesmas dos Barroso e a outra de vermelho, cinco leões de ouro, faixados de azul e armados e lampassados de ouro.

Timbre: um dos leões do escudo.

Títulos, Morgados e Senhorios

Barões de Basto

Condes da Lousã

Condes da Lousã

Condes da Trindade

Condes de Atouguia

Viscondes da Trindade

 

 

From: Hercy Alencar

Sent: Thursday, March 28, 2019 4:09 PM

To: afraniomello@itapetininga.com.br

Subject: Familia Bastos

 

Prezado Afrânio Franco de Oliveira Mello,

Por gentileza, gostaria da ajuda de vc para encontrar genealogia  e assim encontrar o registro de nascimento de meu bisavô, de nome JOÃO DA COSTA BASTOS que nasceu em Portugal (Cabeceira de Basto) em 1º.05.1839 e morreu no Brasil em 13.02.1912, em Fortaleza/CE/Brasil, talvez vindo pelo porto de Recife, acho. Seu pai era ANTONIO JOSE PEREIRA BASTOS e sua mãe eu desconheço nome. 
O pai do meu bisavô veio com ele e mais 03 irmãos para o Brasil morar aqui quando meu bisavô ainda era pequeno. Todos os irmãos dele faleceram pequenos, o único que sobreviveu e constituiu família em Fortaleza/Ceara/Brasil foi meu bisavô que foi um grande comerciante aqui de importação de queijos e bacalhaus etc. Não sei o nome da Freguesia que ele nasceu. Se puder me ajudar.
Talvez ate o cartão de imigração dele contivesse mais dados.

Muito Grato pela atenção!

Jose Hercy Ponte de Alencar

 

 


afraniomello@itapetininga.com.br

Tags: