Adriana Rocha: ‘Equilibrada emocionalmente’

23/06/2019 19:24

Adriana Rocha

Equilibrada emocionalmente

Quem tem perfil equilibrado aceita que os problemas e conflitos fazem parte da vida e tenta entender a situação racionalmente antes de tomar uma atitude. Pausa. Não sucumbe às necessidades imediatas porque percebe que uma reação/ação impensada pode trazer (e traz) consequências nefastas.

Os equilibrados são pessoas que usam recursos como negociação, escuta ativa e capacidade de observação para entender o momento e definir ações e decisões. Pausa. Focam no interesse (o que se quer e as razões para querê-lo) e não nas posições (o que se diz que se quer). Sutil diferença? Jogo de palavras? Definitivamente não! São questionamentos pertinentes, que exigem reflexão. Pausa.

Não levam as questões para o pessoal e costumam observá-las de fora, como um observador imparcial. Outras características que definem o controlado são a resiliência e a capacidade de compreensão. Pausa. Respira fundo.  Pensa e repensa.

Parece perfeito demais? Abstrato demais? Talvez o seja, mas este escrito é um desabafo. Estou escrevendo para me convencer de que a busca pelo equilíbrio se faz urgente para mim.

Confesso: está difícil conviver com a polarização, com o debate agressivo, com as generalizações ofensivas. E nenhuma das agressões vem de longe ou de fora: são amigos, são pessoas da família, que se sentem acima da verdade (donas, talvez?) e que reagem a cada fala, a cada postagem. O monitoramento é permanente.

Ser diferente é confissão de culpa. Ser de esquerda é ser contra o país. Defender a Justiça e o devido processo legal é declaração explícita de ser a favor da corrupção. Como chegamos neste ponto? O nó está no pescoço e está em minha garganta! Literalmente…

Não se busca o debate, mas a ofensa. Não se defende uma ideia, mas o controle do pensar, os fins justificando os meios (socorro!!!). Justifica-se o injustificável: a tortura, o genocídio, o machismo, a xenofobia, a misoginia…  E eu, que há anos luto pela efetivação da Cultura da Paz, da comunicação não violenta, pelo respeito às diferenças e aos diferentes, fico sem voz. Engasgada. Desequilibrei-me!!!

 

                                                                                                                                                Adriana Rocha

                                                                                                                      adriana@lexmediare.com.br

Tags: