Adriana da Rocha Leite: ‘Por que a pressa?’

10/11/2017 07:14

“Preciso de (mais) tempo livre. Para mim. Para nós. Para viver.  Que urgências me impedem de sentar à mesa e apreciar o meu vinho favorito e ouvir suas histórias tão pitorescas e singelas?

 

Preciso de (mais) tempo livre. Para mim. Para nós. Para viver.  Que urgências me impedem de sentar à mesa e apreciar o meu vinho favorito e ouvir suas histórias tão pitorescas e singelas? Resposta: minhas escolhas. Reconheço que não tenho domínio do tempo e tampouco estou  no centro do universo (que quer conspirar a meu favor, eu sei).

Percebo minhas limitações de espaço e de ideias. Finjo que estou no controle porque não suporto imaginar-me dependente, transferindo o que me cabe a outrem. Confuso, eu sei, mas preciso pensar sobre a finitude.  Minha lista 100 não para de gerar filhotes. A cada quicada (missão cumprida) aparecem outros compromissos novos. A lista não diminui, acho que sofre da síndrome de Hydra, mas insisto em atualizá-la como forma de me convencer que sou organizada.

Ando devagar porque já tive pressa” é apenas uma canção, uma utopia, mas a adotei como mantra e fico cantarolando e me acalmando ao longo das esperas em filas, diante dos sistemas inoperantes, da tecnologia travada e de outros aborrecimentos cotidianos e então… “me acalma a alma”…

Preciso de vida livre e penso no Ser que sou e que não aceita controle externo, que acredita que “o Espírito é vento incessante que nada há de prender, ele sopra até no absurdo que a gente não quer ver”, mas que precisa de mais ociosidade, do “dolce far niente”, criativo, simbólico. Relaxante.

Então, escrevo. Dialogo com minhas crenças e dúvidas. Enfrento a contradição da contestação e da réplica (meros argumentos). Respiro.

O sopro de vida inflou meus pulmões de ar etéreo e eterno. Agora, recomposta, íntegra e inteira, fecho os olhos e me entrego aos braços de Morfeu… “Deus criou o Infinito prá a vida ser sempre mais…” é muito mais que o  verso da canção: é a essência da plenitude! Sem pressa!! Eu mereço. Você merece. Merecemos todos!

Amém!

Adriana da Rocha Leite – lexmediare@gmail.com.br

Tags: