Adriana da Rocha Leite: ‘Histórico’

14/02/2018 18:41

“Fevereiro é meu futuro! Desafios permanentes. Feminina e feminista (porque a igualdade ainda exige luta). Sonhos pautados em mim, no outro,  em nós! Cercas  caídas, barreiras  suprimidas, preconceitos  esvaziados, palavras  agressivas  ao  vento (não chegam aos meus ouvidos).”  

 

Fevereiro é meu presente. Meu aniversário.

Fevereiro é meu passado. Aos 11 anos deixei o lúdico da infância e me tornei urbana. Aos 22, descobri que faculdade era apenas parte da vida e que nem tudo era “direito”; aos 33, perdi o rumo, a sanidade…Desequilibrei-me. E tudo mudou…

Fevereiro é meu presente: aos 44 faço um brinde às minhas escolhas e opções. Permito-me gargalhadas e bobeiras. Perdi o medo de revelar-me,  de mostrar meus defeitos. Julgamentos prévios ou preconceituosos não me atingem. Também não quero fazê-los. Busco um olhar empático: enxergar o outro a partir dele e não de mim. Desafio constante, eu sei.

Ainda não superei o pavor que os anfíbios me causam, mas já entendi o porquê da fobia (mas esta é outra história) e ao descobrir algo tão relevante sobre mim e sobre minha personalidade, perdoei-me. Ainda dói, mas é suportável!

Permito-me angústias, falhas e equívocos. Não que os provoque deliberadamente, mas já consigo assumi-los sem punição. Carrasca de mim? Não, meu momento não me permite autoflagelo, apenas evolução e absolvição.

Fevereiro é meu passado: uma infância cercada de carinho e liberdade, uma adolescência repleta de questionamentos e de rupturas: rebeldia justificada. Tudo e todos me trouxeram até aqui.

Fevereiro é meu presente: estou em mim e assim me permito! Amo sem pudores, sem tutores.

Fevereiro é meu futuro! Desafios permanentes. Feminina e feminista (porque a igualdade ainda exige luta). Sonhos pautados em mim, no outro,  em nós! Cercas caídas, barreiras suprimidas, preconceitos esvaziados, palavras agressivas ao vento (não chegam aos meus ouvidos).

Fevereiro é meu futuro! Um olhar revelador de todo o sentimento vivido, um abraço compartilhado na alegria do reencontro. Um beijo que pede mais…

Meu presente é a liberdade de ser de Fevereiro. Meu Fevereiro passado é o carnaval de outros tempos, que em mim deixou marcas… Fevereiro é meu Futuro porque eu o permito!

 

Adriana Rocha – adriana@lexmediare.com.br

Tags: