Lafam: Sermão do Imrão Lafan

25/11/2019 09:32

Luiz Antonio Faccin Arruda Miranda

4º SERMÃO DO IRMÃO LAFAM

 “Escrevo estas coisas a respeito          daqueles que os querem enganar.”

                                                       (1 João 2:26)

Amados irmão, saudações em Nome do nosso amado Senhor Jesus Cristo Nazareno! Ao mesmo Tempo que consideramos um imensurável prazer e honra poder nos dirigir a cada um de vocês, que tanto nos engrandecem com a sua leitura e, mais ainda, pela sintonia, afinidade e comunhão, também precisamos levar em conta se tratar de um desafio hercúleo de idênticas ou até maiores proporções. Não é nada fácil atravessarmos a inóspita, fechada e, por que não dizer, perigosa Floresta de paradigmas, preconceitos e condicionamentos, há muito instalados e mais ou menos profundamente enraizados. Como afirmamos em alguns sermões anteriores, é preciso muito, muito tato para se conseguir estabelecer um “rapport”, ou seja, um canal de comunicação e empatia com outrem. Ativar e manter a atenção é uma tarefa naturalmente árdua e requer diversas habilidades, técnicas e táticas, porém, devido a um trabalho de alienação, planejada e sistematicamente implantado no Mundo por agentes trevosos e suas agendas culturais vermelhas, tudo se mostra ainda mais difícil.

 

 

Afinal, a Mente, a despeito de sua natureza divina e dons maravilhosos e fantásticos, é facilmente manipulável. À semelhança daqueles medonhos dispositivos de correção de alguns programas de computador e smartphones, ela possui o hábito de concluir uma palavra ou Idéia precipitada, destrambelhada e intempestivamente. Além de uma acentuada tendência à preguiça, lei do menor esforço e fixação a diversos deleites sensoriais. O bebê se encanta e fascina com sons, cores, brilho e movimentos. O adulto não é muito diferente, variando praticamente só no conteúdo (prazeres físicos, intelectuais, etc.)!

 

 

          Quando alguém é induzido a pensar de uma determinada maneira, após sucessivas experiências que reforçam essa dinâmica, todo o restante da sua Vida psíquica (perceptiva, afetiva e cognitiva) seguirá fielmente esse padrão. Conforme a Personalidade de cada um seja mais flexível e vivaz ou rígida e fechada, o percepto e produto cognitivo se convertem num conjunto de crenças consistentes, firmes e saudáveis ou, ao revés, tornam-se uma fonte de hostilidades, sectarismo e intolerância. E isto independentemente de seus fundamentos serem verdadeiros ou falsos, bons ou maus. Se a pessoa tiver a bênção de provir de um grupo primário harmonioso, amoroso e esclarecido, como uma família saudável, afetuosa e funcional integrada a um ambiente religioso sério, sincero e autêntico, tudo bem, ainda que o Mundo e a sociedade em torno estejam contaminados e comprometidos. Afinal, a Mente é que fornecerá os alicerces sobre os quais a sua melhor contraparte e extensão, a Alma, completará a obra, como as redes elétrica e hidráulica, o acabamento, a decoração e tudo mais.

          As correntes mentais (astrais e espirituais) são as mais difíceis de identificação, localização e superação. Praticamente nenhuma das suas vítimas se dá conta delas. E se alertadas sobre as mesmas, valem-se das mais esmeradas e ridículas defesas. Negam, pura e simplesmente. Afinal, além de tais sementes nefastas terem sido concebidas e produzidas dotadas de tais mecanismos de preservação, também faz parte da natureza humana o ego agir como um maldito Anjo Caído, para quem, entre outras coisas, falhar, perder ou ignorar é mortificante. E reconhecer isto, bem pior.

 

Quase todos nos achamos maravilhosos, perfeitos e senhores de nós. Ao cogitarmos a hipótese de ser e estar agindo como Micos amestrados, logo um horror aversivo se instala. Falta tanto a humildade para o reconhecimento da nossa humanidade, quanto humanidade para desenvolvermos a nossa divindade. Amados irmãos, por termos sido criados pelo Senhor Deus, supremo, absoluto e inefável, inerentemente somos herdeiros da Sua sagrada Essência. E é justamente isto o que os Inimigos, canalhas e infernais, menos querem que saibamos!

 

Eles têm conspirado e obrado contra a humanidade desde o Princípio. Segundo algumas lendas, mitos e folclores, esses seres abjetos se recusaram a obedecer ao Criador no sentido de nos amarem e servirem, alimentando, conseqüentemente, uma grande inveja e animosidade contra nós. Independentemente de quão simbólicas ou realísticas sejam tais narrativas, a Verdade, velada ou revelada, se mostra presente. O crescimento e o desenvolvimento da nossa Consciência ou a sua atrofia e obscurecimento, dependem de muitos fatores pessoais e circunstanciais. É importante frisarmos que o estado emocional e as condições ambientais são fundamentais. Não faz o menor sentido, por mais “zumbizado”, “idiotizado” ou robotizado que alguém seja ou esteja, dizer que não gosta de Política, “não querendo saber disso”,  “tendo raiva de quem sabe”. Tudo bem se a pessoa não aprecia se inteirar disso no sentido de representação parlamentar,  prática partidária ou algo parecido.

 

          No entanto, nada, realmente nada justifica que não se saiba do quê está ocorrendo em nível social, local, regional, nacional e, se possível, internacional. Não basta que se conheça os fatos superficiais ou aparentes que os “Senhores do Mundo” permitem ou até obrigam a todos saberem e que, via de regra, são vazios, inócuos e indiferentes. Nós temos de entender o quê, como e por quê as coisas acontecem e são como são. Não é fácil e as fontes usuais, sobretudo as educativas e midiáticas, não são nada confiáveis. De qualquer maneira, para que possamos levar a Vida normal e dignamente, com nossos Direitos, Liberdades e Garantias Individuais assegurados, precisamos estar atentos, alertas, orando e vigiando! Afinal, existe uma correspondência imanente entre os trevosos espirituais, astrais e diabólicos, e os seus congêneres políticos, ideológicos e totalitários. São os dois aspectos extremos do mesmo espectro. E isto não apenas em termos de aparência, metodologia e essência, mas sobretudo no que diz respeito a Princípios e Valores!

 

Como o Céu, o Inferno e a Nau, através da qual se atinge um ou outro, são todos feitos de substâncias etéreas (mentais, eidéticas e anímicas), nada mais natural que os alvos e campos principais dessa escravização, sejam a Mente. As condições materiais possuem importância, influenciam e integram o equacionamento da dominação, porém, podem ser subestimadas e mesmo desprezadas desde que os cabrestos mentais estejam devidamente instalados nos quadros e processos de hegemonia ideológica. Isto pode ocorrer de uma forma brutal, violenta e intimidatória, à semelhança do que Nazistas e Soviéticos fizeram, e chineses, norte-vietnamitas e outros continuam pondo em prática hoje em dia, com os seus Campos de Concentração e Trabalho Forçado. Os infelizes internos sofrem tantas e tamanhas privações, ameaças, agressões morais e físicas, medos, que a sua Personalidade se desmorona, colapsa. Arrasados, agem conforme a  dinâmica da Teoria da Consonância Cognitiva: muitos acabam até bajulando os opressores, procurando colaborar e mostrar-se úteis, identificando-se com eles e se dispondo, inclusive, a dedurar os próprios companheiros, gratuitamente, sem nem sequer almejar obter insignificantes privilégios e favores.

 

 

Todavia, o mais freqüente hoje em dia, sobretudo em nossa pobre civilização ocidental, é muito mais sutil. A aplicação do marxismo cultural (o gramscianismo e o frankfürtismo) tem conspurcado a Mente, os Afetos e as Instituições mais sagrados como a Família, a Liberdade, a Religião. Trata-se de uma rede satânica de dimensões homéricas, abrangendo os menores detalhes na Vida da população. Praticamente não há uma única atividade cultural, recreativa, esportiva ou de qualquer espécie que não esteja contaminada, explícita ou subliminarmente, pelas deturpações, manipulações e mentiras marxistas.

 

Como não bastasse a sua pérfida atuação nos Estabelecimentos de Ensino de todos os graus (por incrível que pareça, da creche aos Cursos de Pós-Graduação e Pós-Doutorado!), na mídia e nos produtos artísticos, impondo às massas, principalmente de jovens, os piores ídolos e modelos estereotipados, perniciosos, fúteis e egocêntricos, ainda por cima montam esquemas para solapar as últimas estruturas psicossociais, familiares e morais, injetando os piores venenos para o Corpo, a Mente e a Alma: os entorpecentes! Se os desgraçados dos marxistas sempre sustentaram que a “Religião é o ópio do povo”, em contrapartida, passaram a fomentar o alcoolismo e a dependência a outras drogas a título de uma nova religiosidade e “instrumento revolucionário”,  com os quais cumprem vários objetivos, simultaneamente: a destruição das sociedades do Mundo Livre, o comprometimento da Saúde clínica e psíquica, individual e coletiva, a formação de multidões de Zumbis inúteis, a desorganização e o comprometimento da Segurança Pública e das estruturas familiares, políticas e econômicas, o fortalecimento de grupos e gangues narcoterroristas e a obtenção de descomunal ganhos financeiros. E todo Mundo incapaz de (sobre)viver sem o Estado!

 

No início, a introdução de substâncias tóxicas se processou de forma amadorística e com um pequeno alcance. A despeito de uma relativamente caprichada produção e logística no transporte por atacado, subornando as autoridades de fronteira, alfandegárias e dos Departamentos especializados no tráfico e consumo de narcóticos da Polícia Civil, a distribuição e venda ao consumidor final em pontos específicos de comunidades carentes e favelas, ainda eram a regra. Contudo, além de surgirem traficantes e passadores mais inventivos, arrojados e sofisticados, diversos calhordas da Igreja Católica e do Corpo Docente (e indecente) de Universidades públicas, como a USP (Universidade de S. Paulo), criaram o Partido dos Trabalhadores e outras agremiações de esquerda, com aparência falsamente menos radical, além de subsidiar movimentos torpes tipo a “teologia da libertação”. Mancomunaram-se também com os serviços de Informação e Inteligência do bloco socialista, que simulou a sua falência nos anos 1980/90. Então, passaram a formar, orientar e treinar o “Crime Organizado” ou como, pernóstica, melosa e pedantemente, certos vagabundos acadêmicos “esquerdóides” de Ciências Sociais chamam, o “Partido do Crime”!

 

Entre esses marginais considerados geniais e renovadores, encontramos o diabólico, celerado e cruel colombiano, Pablo Escobar (1949 – 1993), que gerou uma fortuna inaudita. Ele acabou sendo procurado pelo abominável, truculento e altamente corrupto ditador cubano, Fidel Castro (1926 – 2016), que ofereceu a sua nefasta ilha como entreposto no despacho de Cocaína para o México e os Estados Unidos, além do fornecimento de informações sobre a movimentação da Guarda Costeira americana, prestação de escolta, hospedagem, alimentação, etc. O canalha ditador venezuelano, Hugo Chávez (1954 – 2013) e o babaca, ignorante e medíocre ex-presidente brasileiro, o pernambucano Luiz Ignácio “Lula” da Silva (1945 – desgraçadamente, ainda vivo), também integraram esse tenebroso esquema. Traficantes, passadores, autoridades corruptas e determinados empresários da mídia e do show-business levantam muito dinheiro com isso. Terroristas, guerrilheiros, sindicalistas, políticos e representantes estudantis obtêm apoio, sustentação, patrocínio eleitoral, armamento e municiamento. Além de propaganda favorável e gratuita dos energúmenos e torpes “esquerdistas-caviar”,  do chamado Primeiro Mundo.

          Os ideólogos vermelhos e os “Senhores do Mundo” cumprem, assim, as suas metas como a formação de legiões de jovens abatidos, imprestáveis e alienados; a desestabilização e a insegurança social, política, jurídica e institucional em geral… A derrocada da Espiritualidade, da Moral, da Ética, da Ordem e tudo mais. Enquanto isto, a manada caminha alegre, descontraída, distraída e deslumbrada rumo aos currais mais precários e, posteriormente, ao matadouro! Comemorando copas nacional e regionais de futebol, tomando todas, fazendo churrascos, alguns conseguindo até comprar ou trocar de carro, outros, andar de avião, acompanhando os noticiários e as novelas televisivos: “a Vida é boa e a felicidade até existe”, êta nós! De fato, a Vida é ótima e a real Felicidade existe deveras, mas, podem acreditar, os parâmetros são inteiramente outros!

 

Amados irmãos, é preciso estarmos muito atentos, orando e vigiando realmente. Se o Mundo fenomênico já é por si próprio uma Ilusão (Sansara), quando manipulado e adulterado por essas corjas de trevosos comunistas, globalistas e “illuminati”, tudo se torna infinitamente pior, mais funesto e deprimente. É mais uma das grandes ironias da Vida que um, dentre os inúmeros grupos, ordens e movimentos, que os “Senhores do Mundo” inventaram para enlaçar a humanidade, tenha esse nome sugestivo, “os iluminados”. Na Realidade, tudo não passa de uma encenação muito grande, que cativa determinados públicos em diferentes épocas. Os Engenheiros Sociais do Inferno estão sempre criando coisas como modismos, emblemas, mitos, fantasias, embalagens, personagens e cenários, para abarcar a maior variedade possível de indivíduos e classes. Os mecanismos de atração, enganação e intimidação são os mesmos desde o primeiro ser humano, embora as aparências, cores, formas, “designs” e rótulos sofram freqüentes alterações, adaptando-se a Tempos, preferências e culturas diversas (Crenças, Valores, Princípios, Hábitos, Costumes, etc.).

 

          Escolas e correntes literárias, filosóficas e artísticas, Arcanos, Astrologia, Alquimia, Nova Era, Ecologia, Ecumenismo Religioso, Diversidade Cultural, Consciência Holística e Global, Terapias Alternativas e mais uma infinidade de Idéias, ideais e engajamentos, constitui excelentes iscas para as Mentes mais sensíveis, sugestionáveis e romanticamente complexadas. O estabelecimento de objetivos irrealistas, exagerados e ansiogênicos, implantados de modo insopitável em gente com certa predisposição ou induzida a padrões obsessivos e compulsivos, facilitará não somente o seu aprisionamento, mas fará dela agente inconsciente de cooptação de muitas outras… E Escritores,  Músicos, Artistas Plásticos, Cênicos e Roteiristas, por exemplo, são facilmente abduzidos, sem ser preciso qualquer dispêndio em doutrinações, persuasões  e condicionamentos, por duas razões principais: todo Artista é naturalmente ávido e carente de atenção, valorização e admiração.

 

Em segundo lugar, uma vez que os acessos à formação artística profissional e à difusão dos seus trabalhos no mercado sejam controlados, basta o estabelecimento de um padrão do que deva se produzir, ou seja, o tipo, o estilo e o gênero do produto (livro, composição musical, quadro, escultura, colagem, etc.). Isto fará com que todos os envolvidos na sua produção e agenciamento trabalhem diligentemente nesse sentido. Dando um exemplo banal: os “donos do Mundo” querem disseminar alguma forma de “sexolatria”. Controlando e/ou possuindo as maiores e principais Editoras de livros, revistas e jornais, abrirão espaço somente para obras literárias ou pseudo-científicas que orbitem tal tema. Alegarão que é o que o mercado quer e a partir de então, será mesmo o que mercado desejará.

 

          O Mercado Livre é a maior e melhor garantia de Liberdade e Democracia que um povo e uma Nação podem aspirar, porém, o manejo do mesmo por elites globalistas é quase tão pernicioso quanto a pura supressão do mesmo pelos socialistas e comunistas. Só não são exatamente iguais porque no primeiro caso ainda restam algumas brechas e buracos por onde se pode tentar escapulir, isto é, desde que ainda não tenha sido instituído um maldito “Governo Mundial”, único e ditatorial, quando, então, todas as Esperanças estarão perdidas!

          Amados irmãos, precisamos alimentar, desenvolver e fortalecer a nossa Mente, para que ela aprenda a dominar a si mesma, deixando, portanto, de incorporar programas, modos filosóficos e idiossincrasias de auto-destruição. Ela deve controlar o Corpo, mas sem exageros neuróticos, hipocrisia moralista e condescendência conivente. E, finalmente, poderá se render ao poder, à glória e à honra do seu próprio Espírito. Não serve para nada a perigosa, lustrosa e traiçoeira Ilusão da falsa Liberdade. Aqueles que acham que serão livres somente se puderem fazer o que quiserem, buscando obsessivamente prazeres sensoriais ou egóicos (que no fundo são a mesma coisa), futilidades e seguindo ensinamentos, doutrinações e orientações de pseudo-gurus, “Professores” e “Mestres” “revolucionários”, mais do que escravos da própria obtusidade e babaquice, são a massa de manobra que os representantes terrenos do Inferno, os esquerdistas, mais apreciam.

 

Quando um colega desgraçado, conhecido ou “amigo” apresenta uma droga lícita ou ilícita qualquer à sua vítima, “zumbizando-a” de vez, sendo ele próprio Zumbi, é um momento de grande tristeza e lamentação entre as Hostes Angelicais celestes. Tudo foi minuciosamente preparado há bastante Tempo. Mensagens mais ou menos subliminares em todos os veículos de Comunicação de massa, Músicas, Filmes, Telenovelas, anúncios publicitários, etc. Um ambiente doméstico e escolar disfuncional implantado, lenta, homeopática e gradualmente. Estereótipos, caricaturas e mentiras fornecem uma Percepção de si e do Mundo, completamente deturpada e irreal. Principalmente, porém, não exclusivamente, entre os jovens, ninguém, exceto uma minoria especialmente abençoada, percebe que atrás do inocente cigarro de ervas ou da brilhante trilha de Cocaína, existem laboratórios clandestinos sem nenhuma higiene, criminosos armados, Policiais corruptos, dinheiro sujo, assassinatos e esquartejamentos, crianças rotas, desnutridas, abandonadas, chorosas e traumatizadas, etc.

 

Existem outros aspectos, que se relacionam especificamente ao usuário. Quase ninguém tem noção dos horrores e das lesões orgânicas, mentais e astrais decorrentes da ingestão dessas substâncias. Não iremos defender aqui a abstenção total de tudo, inclusive do chamado “beber social”, pois além de resultar inútil qualquer sugestão nesse sentido, ainda por cima suscitaria mais resistência e um desnecessário antagonismo. Mas é bom que vocês saibam que um simples copo de cerveja, uma mera taça de vinho ou uma “inocente” caipirinha já constitui uma agressão violenta ao nossos Corpos mais sutis. A pessoa se torna, sem que ela ou as demais notem de pronto, anímica e afetivamente, agressiva, escarnecedora, irreverente e insensível. Quando se diz que o amado Senhor Jesus bebia, omite-se que Ele jamais foi um beberão ou mesmo bebedor contumaz. O Seu primeiro milagre, a transformação de H2O em vinho, deveu-se ao Amor, Compaixão e uma relativa Condescendência do augusto Rei à dureza de Caráter e coração do povo!

 

Agora, imagine o que o excesso de Álcool e as demais drogas produzem nos delicados tecidos do Organismo e na qualidade das Ondas mentais e espirituais. E como tudo tem a ver com tudo, as conexões infinitas nas Redes da Vida e a conseqüente relação entre Pensamentos, Sentimentos, Destino, Aprendizados e Interações sociais, afetivas e sexuais, capacidade de trabalho e desabrochar de potenciais… tudo se torna encardido, deficitário, dando margem a acidentes, brigas, Doenças, baixarias, desentendimentos, frustrações e todos os tipos de dissabores, sofrimentos e desgraças. Um idiota nunca reconhece e muito menos admite a sua idiotice, por mais que em muitos casos isto se torne cada vez mais saliente. Eis um dos trunfos principais dos trevosos e seus acólitos, relativamente conscientes. Quando alguém sente uma tentação, uma comichão, uma taquicardia, diante da apresentação de uma proposta esdrúxula, anti-social e com uma fragrância, inicialmente gostosa, atraente e provocante de crime ou pecado, deveria sair correndo e procurar ajuda. Abrir-se com os pais, algum parente mais velho ou até outra pessoa comprovadamente idônea, como um Clérigo, por exemplo, embora, infelizmente, muitos Padres, “Terapêutas”, “Conselheiros” e “Professores” já estejam infectados pelos Mortos-vivos.

 

Ainda assim, o misericordioso Senhor Deus disponibiliza algum Anjo, puro ou híbrido, para socorrer as Suas Ovelhas!  Acontece que o Inimigo é muito astuto, perverso e ardiloso. Todo o cenário é montado de modo a parecer bonito, atraente, diferente e até místico! Aparecem pessoas legais, bonitas, descoladas! Ambiente de oba-oba, festa e camaradagem! A arapuca está armada… Tudo se presta para os “Senhores do Mundo” e as suas trupes e tropas satânicas arruinarem a humanidade, a civilização, o individualismo e todos os mais elevados Valores e Princípios. Atraindo a todos com cenários de curtição, libertação, naturalismo, festas e outras besteiras, postam-se mais à frente, aguardando essas estúpidas manadas humanas, com rédeas curtas, coleiras apertadas, camisas-de-força, rações racionadas, trabalho escravo duro, confinamentos e migrações compulsórias, supressão das Liberdades de Consciência, Associação, Mobilidade, Expressão, etc. Os alvos iniciais primordiais nesse processo são a Família, a Religião (sobretudo o Cristianismo) e a Propriedade. E os seus métodos incluem o aparelhamento das organizações educacionais, informativas, religiosas e artísticas… A indução à dependência química.  A realização de eleições fraudulentas para, logo em seguida, alterando a Constituição e as demais leis,  perpetuarem-se no Poder. A sua primeira grande realização se concentra na criação de um nefasto, ditatorial e implacável GOVERNO ÚNICO MUNDIAL! Miseravelmente, estamos muito perto disso graças à instalação de uma “governança global” e da influência da maldita ONU (Organização das Nações Unidas) e dos seus apoiadores, os mega-trilionários “Senhores do Mundo, os governantes socialistas, comunistas e “esquerdóides” em geral!

 

E dentro desses planos, os canalhas têm procurado seguir as estratégicas marxista-leninistas que foram ampliadas, aprofundadas e aperfeiçoadas pelo “gramscianismo” e “frankfürtismo”. Eles querem “unificar a humanidade”, nela incutindo a chamada “moral de rebanho” e, dessa forma, assegurar a completa massificação e despersonalização de todos, nada tendo isto a ver com a Unidade Espiritual ou Cósmica. Assim, inventaram muitas modas (de comportamentais, indumentárias, artísticas e cinematográficas a conceituais, filosóficas, esotéricas, iniciáticas, intelectuais e outras), formando grupos e tribos em princípio díspares e rivais, mas que com o passar do Tempo, dividirão os mesmos grilhões. Há os grupos de pirados em Ufologia, por exemplo. Os aprisionados pelo seu lindo Amor à Natureza, trancafiados em jaulas de desinformações e dados falsos, de subestimação do ser humano e das suas faculdades mentais e espirituais superiores, de alarmismo pela extinção de espécies animais e vegetais. A apreciação obsessiva de civilizações extintas e uma supervalorização de seus elementos religiosos panteísticos, antropológicos, arqueológicos e culturais em geral, inventados por “Cientistas” atuais. Manifestações mediúnicas, sobrenaturais e esotéricas. Hipóteses, teorias e fantasias astrofísicas e quânticas ornamentadas com Linguagem científica, cartesiana e matemática, mas que nunca serão comprovadas!

 

Essas e outras “iscas intelectuais, subconscientes e emocionais” não se destinam somente à redução do homem à condição de rês mediante a eliminação da sua individualidade e Personalidade, mas almejam igualmente solapar as suas reservas morais, espirituais, afetivas, cognitivas e outras. As pessoas vão se emburrecendo e embrutecendo. Realizam péssimos negócios, trocas em que ofertam preciosidades a troco de lixo. Não se tornam criaturas vazias porque isto seria a Iluminação. Pelo contrário, Mente e Alma ficam cada vez mais atulhadas de tranqueiras, baboseiras e utopias. Todas as faculdades, dons e capacidades penosamente amealhadas, purificadas e incrementadas, recebidas como herança humana, familiar e divina, acabam se atrofiando ou esmaecendo. A NOVA ERA  não se trata realmente de um grande acontecimento cosmológico, telúrico e humano. Nada tem relativamente à conjunção e ao posicionamento de Constelações, imensuravelmente grandes e distantes de nós, para conseguirem influenciar a nossa existência microscópica. Isto configura a celebração dos maiores engodos, diversionismos e invenciones de todos os Tempos! Invasões extra-terrestres, reptilianos, acordos secretos de alienígenas e super-potências…

É bastante desapontador descobrir que muitas crendices, superstições e Esperanças de um Mundo bonitinho, todo florido, com a galera falando a mesma Língua (Paz e Amor!) e se confraternizando em luaus, política e ecologicamente corretos, são uma mera substituição de Informações, Ilusões e embalagens velhas por outras novas…   Está em nosso coração e em nossas mãos a formação do nosso futuro e de todas as gerações vindouras. Tem gente que acha que não há nada que possamos fazer, uma vez que essas e outras coisas estão “previstas” e escritas na Bíblia e que, dessa maneira, fazem parte dos propósitos e permissões do maravilhoso Senhor Deus! Nada mais falso, perigoso e pernicioso! Ainda que este nosso Mundo fenomênico e da Dualidade não seja o nosso Destino final, tampouco constitua a Realidade última, enseja o nosso desenvolvimento e possibilita as nossas vivências racionais, emocionais e existenciais, possuindo o condão de refletir e ser refletido no que se convencionou designar como Mundo Interior.

 

          Nós não apenas podemos, como temos a obrigação de intervir e atuar no que for possível: ao organizarmos o Mundo humano e o Planeta Terra em conformidade com a Ordem, a Justiça e a Verdade, projetamo-nos ao Universo inteiro. Semeamos a Realidade de uma Árvore da Vida, do Conhecimento e da Luz, cujas raízes e copa conectam os Infinitos superior e inferior. Nós, pretensiosos aspirantes a Cristãos, preparamo-nos para junto com o divino e amado Senhor Jesus Cristo, termos perfeita e completa Comunhão com o Pai.

 

Amados irmãos, atingimos novamente um ponto excessivamente delicado e que como todos do tipo, deve ser manejado com muito cuidado, concentração e, simultaneamente, desprendimento. Todas as nossas observações, análises e conclusões podem ser rebatidas contra nós e, assim, a contragosto, cairmos nas ciladas sofísticas fajutas que os trevosos e falastrões adeptos de controvérsias estéreis tanto apreciam. Contudo, antes de iniciarmos o exame de alguns pontos centrais do Cristianismo, convém esclarecer que existem inúmeras maneiras de se obter qualquer Conhecimento direto, profundo e verdadeiro, como a Intuição, a Revelação, a Inspiração, etc. O quê quer que seja falso, mentiroso ou falaz, não produzirá frutos reais. Em algum momento, a Verdade emerge, esplendorosa, perfeita e lindamente. Alguns tentam prendê-la, deformá-la, conspurcá-la, debalde. Amorfa, absoluta e indestrutível, ela rompe as embalagens, os lacres, as sujeiras, as conveniências, as falácias, os entulhos e demais badulaques depositados sobre ela. E se uma Alma pura, amorosa e confiante buscá-la, sincera e inocentemente, a encontrará. Em Nome do Senhor dos Exércitos!

 

Sempre houve muitos movimentos, grupos e movimentações contra o Cristianismo no Mundo, desde o seu aparecimento. Os trevosos de todos os Tempos e lugares detestam a Religião do Amor Universal e Incondicional, não somente porque ela se apresenta como um sério e autêntico obstáculo aos seus projetos mais atávicos de estabelecer um vasto, poderoso e totalitário Império do mal, que possa, entre outras coisas, escravizar todos os filhos do homem. Dada a sua natureza, essência e dinâmica, o Cristianismo ilumina de tal forma a Percepção, a Consciência e as Atitudes dos que se propõem a adotá-lo e praticá-lo, que a simples presença de tais Adeptos, ainda que imóveis e calados, revela a nudez (a mediocridade, a ignorância e a babaquice) do impostor do Rei. E, segundo pregamos na IGREJA DOS CRISTÃOS LIVRES, o mais importante de tudo é a gênese no íntimo de cada um, do ESPÍRITO CRISTÃO! O que vem exatamente a ser isto?

 

Queremos dizer que as prédicas que o amado e iluminado Mestre apresentou, possuem, obviamente, arcabouços e preceitos morais, éticos, pessoais, familiares e sociopolíticos universais, sim, no entanto, o principal é o desenvolvimento de um modo de ser, sentir, pensar e fazer, cristão! A partir disso, tudo o mais fluirá espontaneamente! Então, além das perseguições dos mais variados tipos e níveis, da pilhéria e escárnio contra os Santos do Senhor à proibição de reuniões, porte e leitura da Bíblia, conversas públicas sobre o tema, com aprisionamento, tortura e execuções dos recalcitrantes em manter a Fé, os Inimigos têm usado a técnica grega do Cavalo de Tróia!

 

          Algumas dessas distorções foram suscitadas por equívoco, ignorância e, sobretudo, por conta de alguma Neurose ou outra perturbação mental mais severa – o que não elide a possibilidade de atuação diabólica ao propiciar, por exemplo, o transtorno num dado sujeito e, simultaneamente, insuflar nele a vocação ou o desejo de atuar publicamente. Seja como for, vocês que estão familiarizados com alguns conceitos e dogmas da Psicanálise, sabem que muitos seres derrotados, irresponsáveis, alcoólatras e vagabundos, realmente foram presas do próprio Superego, exageradamente exigente, intransigente e inclemente. Premidos por objetivos dificílimos, complicados e absurdos, os coitados sucumbiram diante da Cruz que não pertencia de fato ao seu eu. Existe também o caso dos malandros que estabelecem objetivos muito aquém da sua verdadeira potência, a fim de não precisarem se esforçar muito. As desordens psíquicas, espirituais e morais possuem mais relações e afinidades do que gostam de admitir os seus portadores.

 

Para melhor compreendermos os sagrados Mistérios do Cristianismo e seus Princípios e Práticas, sintetizados nos Ensinamentos do amado Senhor Jesus, ampliados ao Infinito pelo magnânimo Espírito Santo, a fim de mergulharmos inteiramente na Fonte de Água Viva do Reino dos Céus, sendo absorvidos a ponto de morrermos para o ego, vaidades, apegos e Ilusões, transformando-nos através do renascimento, precisamos, primeiro de tudo, dispor de muita lucidez, coragem, determinação e noções a propósito de conhecer a santa Personalidade do majestoso Senhor Jesus. Sendo a encarnação humana viva, consciente e transcendente do Absoluto, bem como a expressão mais perfeita do Amor em toda a magia humana e divina, podemos depreender muitos elementos que a comunhão, a amizade e a intimidade com o Salvador, fartamente demonstram e corroboram.

 

Fora de qualquer dúvida, Ele É perfeito como homem e como Deus. Portanto, conhece plenamente a cada um de nós individualmente, bem como a nossa compleição humana, com as suas virtudes e defeitos. A nossa fraqueza não suscita nEle desprezo, raiva nem sarcasmo, muito pelo contrário, confrange o Seu sagrado coração, enchendo-o de Compaixão e Misericórdia. Aquele que ama verdadeiramente, não constrange, humilha ou maltrata o objeto do seu Afeto, embora possa até admoestá-lo e castigá-lo. De qualquer forma, por mais que queira bem e espere muito do amado, não exigirá o que não está ao seu alcance real ou suposto (quem não acredita ser capaz é como se realmente não tivesse capacidade). Se concordamos quanto a isto, podemos seguir adiante. Pois muito bem, como sempre frisamos, a Verdade pode ser percebida e interpretada de inúmeras maneiras. Para cada pessoa e levando-se em consideração o seu estágio de Evolução e Compreensão, uma determinada leitura será mais compatível e benéfica.

 

Muitos são os exemplos relacionados a isto, mas vamos nos ater a dois aspectos em particular das prédicas do santo Mestre:  a ideologia, o perdão e a exortação de amarmos aos Inimigos. Amados irmãos, qualquer um pode notar que o Príncipe da Paz sempre desejou que todas as pessoas vivessem bem, em Paz, harmonia e que se amassem, do que decorre tudo o mais, como o auxílio mútuo, a caridade, etc. Com isto Ele jamais pregou ou propôs qualquer reforma no Estado, nas Instituições e nos Governos, mas no âmago do homem. Como dar a César o que é de César e ao Senhor Deus o que é do Senhor Deus, no socialismo, se tudo ali foi expropriado, estatizado e coletivizado? Como ser caridoso, solidário e generoso sob essa ditadura se todos, exceto a maldita cúpula dirigente, compartilham a mesma miséria, escravidão e opressão? Para que haja ambiente e meios próprios ao Sentimento e exercício de paridade, humildade e fraternidade, é imprescindível a existência de diferenças. Num estado e regime totalitários, como serão praticadas as lições de premiação e punição com bênçãos, prosperidade e livramentos? Se a Salvação é, como está escrito, individual, o que se pode fazer coletivamente? O abençoado abençoador e amado Senhor Jesus jamais seria de esquerda!  E nós podemos até amar a nossos Inimigos, sem que por isso deixem de pagar pelo mal que fizeram a nós ou aos outros!

Quanto a perdoar praticamente infinitas vezes e amar aos maus, canalhas e impiedosos, pensamos independentemente de possíveis distorções decorrentes de tradução, diversidade contextual e cultural, técnicas didáticas, filosóficas e meditativas, figuras de Linguagem como metáforas, etc. Perdoar é maravilhoso, um gesto que denota grandeza de Caráter, Amor e elevação espiritual. Contudo, é uma Chave que só funciona e se justifica numa fechadura, que é o Arrependimento. Se alguém possui deveras o direito ou o dever de desculpar a outrem que não se arrependeu e tampouco reconhece o seu erro, o gesto de generosidade se mostra ineficaz. No máximo, pode servir como tranquilizante ao ofendido ou pior: suplemento nutricional para a sua vaidade, fazendo com que se sinta moralmente superior. E alguém cometer um deslize, crime ou pecado, premeditando se livrar da reparação com um simples, vazio e hipócrita pedido de perdão? Decerto o lindo Senhor Jesus cogitava o caso de se tentar fazer a coisa certa, dar mais de si, fracassar, mas verdadeiramente desejar melhorar.

 

E quanto à questão de amar ao Diabo, gostaríamos de apresentar um exemplo. Durante o período conhecido como “A GRANDE FOME”, que nunca foi inteiramente superada, mas teve o seu auge entre 1958 e 1961, na hedionda China maoísta, um menino de cinco anos de idade, faminto como todos, acabou furtando um pedaço de pão da despensa comunitária. A infernal Guarda Vermelha descobriu o “crime anti-revolucionário”, prendeu a criança, torturou-a, xingou-a, espancou-a, enfiou farpas de bambu sob as suas unhas.  E obrigou-a a permanecer cinco horas num buraco, coberta de fezes. Finalmente, os crápulas vermelhos ordenaram que o pai do jovem infrator o matasse. Sem alternativa, ele obedeceu e suicidou-se dois dias após. Amados irmãos, alguém em sã Consciência ousaria recomendar ao infante ou aos seus pais que… perdoassem, pura e simplesmente, os canalhas? O que seria dar a outra face? Mais do que hipocrisia, é um acinte à dor alheia alguém propugnar o perdão nesse e em miríade de outros casos.

 

Insinuar que o glorioso Senhor Jesus tinha isto em Mente é estar inteira possuído pelo ignóbil, covarde e sujo Satanás. Que ofensa maior haveria à Dignidade do ser humano? Então como adequar o que o divino Rei dos Reis pregou,  à Realidade das possibilidades humanas? O adorado Senhor Jesus sabe completa e perfeitamente o que esperar de nós. Não teria sentido Ele aumentar o sofrimento, a aflição e a confusão das vítimas de atrocidades, tampouco privilegiar, abençoar e afagar a cabeça dos pulhas. Em 2 Samuel 19: 6, Joabe repreende ao Rei David: “(…) O senhor odeia os que o amam e ama aqueles que o odeiam. (…)” E poderíamos juntar mais uma infinidade de exemplos. Suponha que alguém mora num prédio e tem um vizinho maldito, egocêntrico, mal-educado e barulhento. Sempre que o primeiro está descansando, lendo um livro, assistindo televisão, preparando material para o trabalho ou fazendo Amor com o seu cônjuge, o outro arrasta móveis, coloca som brega em alto-volume, etc. Conversas, súplicas e denúncias no livro do condomínio, tudo em vão. Estará tudo bem mesmo com raiva, dor de cabeça, objetos que escapam das mãos e se espatifam no chão?

 

Ora, entendemos que ser Cristão não é a mesma coisa de ter “sangue de Barata” nas veias. Tudo bem, oramos e suplicamos pela ajuda dos maravilhosos Senhor Deus, Senhor Jesus e das Suas Tropas Angelicais. Confiamos. O que desejamos ressaltar é o seguinte: certamente o nosso Senhor Jesus não quer nos prejudicar, afligir ou supliciar. Acreditamos, por exemplo, que quando Ele fala para darmos duas capas ao nos cobrarem uma, andarmos o dobro da distância e coisas assim, não propõe que sejamos masoquistas, perdulários e irresponsáveis, não zelando pelo nosso bem-estar. Quando o ricaço pedante afirma já ter feito tudo o que a Lei ordena, e o espetacular Senhor Jesus afirmou que só faltava, então, vender tudo e distribuir aos pobres, talvez Ele estivesse ironizando um pouco, já que o outro se mostrava tão cheio de si. Se todos os endinheirados e remediados se desfizessem de tudo o que têm, não só não resolveriam nenhum problema pessoal ou social, como criariam muitos outros. Menos ricos jamais significou menor pobreza. Em todos os lugares onde se socializou muito ou pouco, só a miséria se multiplicou. Daí a aberração moderna que é o “Socialismo de Mercado”!  

Amados irmãos, o Cristianismo é essencialmente um processo interior. É a Religião dos vencedores que obtiveram vitória sobre si próprios, os sentidos e os engodos do ego. De nada adianta o Cristão apenas recitar uma porção de normas, diretrizes e doutrinas, conhecer a Palavra bíblica e sair por aí orgulhosa, intolerante e ditatorialmente. O trabalho cristão não é liberar nem reprimir demais a natureza humana. Os “Senhores do Mundo” e os seus asseclas trevosos demoníacos e vermelhos, cultuam religiosamente a frustração, a inveja, a incompetência e a tirania. Nada mais representa coisa alguma para eles, nem tem qualquer valor verdadeiro: o sexo se banalizou, a embriaguez não faz mais efeito, o dinheiro é só a peça de um jogo entediante e a Vida não passa de um brinquedo sem sentido, que perdeu a graça. Somente o Poder ainda lhes interessa, pois acima de tudo é o que lhes fornece alguma dose de auto-estima, segurança e a sensação de que ainda controlam algo em sua Vida insípida, fornecendo a Ilusão de luzes, cores e movimento nesse funesto Parque de Diversões do Mundo! E os esquerdistas, aprisionados em sua babaquice e numa espécie de obsessão judaica pela pobreza, nunca se saciam, experimentando aquela sensação de que não acumularam nada, nem dinheiro nem Poder suficientemente, nem desfrutaram todas as volúpias sensoriais o bastante, sempre acometidos por Megalomania e Mania de Perseguição, desconfiados, perseguindo e finalmente matando justamente aqueles poucos infelizes que, ironicamente, realmente os amaram…

 

Quando o adorado, amado e fulgurante Senhor Jesus pregou sobre o modo correto de ser e fazer, as atitudes e o comportamento adequados daqueles que ouvem, guardam e praticam as Suas Palavras, isto é, a Sua Família, e que o Seu Reino não é deste Mundo, não estava ordenando que ficássemos ociosos, apáticos e desmotivados, andando a esmo. O significado disto é que quem experimenta o Eterno, o infinitamente belo, perfeito e prazeroso, não se apoquentará por causa de bagatelas, besteiras e futilidades. Há um Tesouro muito maior reservado exclusivamente àqueles que amam aos outros, sabem ceder a sua vez, são mansos, pacificadores e não futriqueiros, vibram alegre, espontânea e sinceramente pelas vitórias, sucessos e realizações do próximo. O Cristão não tem necessidade de se afirmar como tal, mas se admite sê-lo é para incentivar os demais a desfrutarem das mesmas dádivas, bênçãos e delícias. Respeita a Lei, não para se exibir ou enaltecer, mas porque ama a Ordem e deseja permanecer oculto. Está sempre presente e jamais alardeia a sua presença… O desfrutar a Paz do Senhor, que Ele generosamente nos deixou, é uma delícia sem igual! Conscientes de que nada somos e nada temos, tomamos posse de todo o Universo! Brindamos o todo, que não se resume à Terra, mas que representa cada fenômeno e cada criatura. Acontece que somente nós, humanos, podemos refletir o amado Senhor Deus com o Coração, a Alma, a Força e o Entendimento!  Amados irmãos, o esplendoroso Senhor Jesus é o Caminho, a Verdade e a Vida! Isto não são meras palavras: quem o provou, sabe! Abraços e beijos! Paz do Senhor!

 

 

 

 

 

  1. Lafam.
Tags: