Fábio Ávila: ‘Muda Brasil!!!’

08/11/2018 12:56

 Fábio Ávila: ‘Muda Brasil!!!’

– Neste momento extremamente complexo em que o Brasil busca mudar o norte de seu rumo, após as eleições presidenciais de 2018, chegamos à triste conclusão de que o jovem brasileiro é vítima de uma conspiração para torná-lo frágil, politicamente falando.

– O que quer dizer com isso? Quem garante que você está certo no que diz?

– Constato, inicialmente, que há um esforço enorme para que os jovens desconheçam a história de seu próprio país. Não há estímulo à leitura e tampouco à escrita. Uma boa redação depende de muita leitura, de espírito crítico, de conhecimento do próprio idioma e de paixão pelo que se faz.

– Se formos falar de paixão, vamos lembrar que a lavagem cerebral que ocorreu com a juventude brasileira, desde 2003, é fruto de uma paixão desenfreada por pessoas que maquiavelicamente buscam o Poder a qualquer preço, desde que suas ideias sejam consideradas universais. Nasceu assim o Foro São Paulo, em suas reuniões secretas, onde alguns mandatários (latino-americanos e políticos de diversos países) buscavam criar uma estratégia de hegemonia para fazer com que a população ficasse distante das decisões do pequeno e ”seleto” grupo.

– Compreendo o que diz, sabemos que por cerca de duas décadas não se ventilou o que estava acontecendo pois havia a conivência de membros infiltrados por toda a rede de comunicação no Território Brasileiro, seja através da mídia impressa ou televisiva, e desta forma os ensinantes estavam também ”catequizados” para alienar a população.

– As entidades de ensino federal, estadual ou municipal, em geral, estão mal cuidadas, sujas, depredadas e os professores que buscam exercer a sua verdadeira profissão passam a ser humilhados pelos alunos e mesmo por seus familiares. Temos assistido a atos de violência quando os professores são espancados, destratados e muitas vezes injuriados e nada é feito para frear esta situação pois, por trás desta atitude, há a meta ampla de iludir e manter os jovens longe do raciocínio que permita o espírito cívico e harmônico de uma nação efetivamente democrática.

– Tenho buscado dialogar com jovens estudantes por todo o Território Brasileiro. Constatamos posições rígidas pelo excesso de desinformação ou de falta de apelo patriótico para que se compreenda o que é viver em comunidade dentro de um país com dimensões continentais como o Território Brasileiro. A inversão de valores é total. O aluno estudioso é discriminado pelo seus próprios colegas. A opinião tem que estar direcionada para satisfazer àqueles que desejam impor o seu ponto de vista.  Alguns professores, acovardados, buscam fazer com que as escolas tenham instrução partidária, ou de gênero, ao invés de permitir que os alunos efetivamente estudem, se informem, se encantem pelo conhecimento e decidam eles mesmos o seu próprio caminho.

Estamos face a um momento extremamente delicado e esperamos que haja compreensão, patriotismo e espírito cívico que permita à nova equipe do Governo Federal entender a dificuldade que terá para fazer com que o Brasil reencontre o seu caminho como país digno e respeitado por todos os brasileiros e pelas nações internacionais de todo o Globo Terrestre.

– O que você me aconselharia fazer para que eu entendesse o ocorrido nestes 130 anos dos governos republicanos brasileiros?

– Pois é, vamos de 1889 a 2019 e, aparentemente, este fato está desapercebido da maior parte ou de quase toda a população brasileira.  O Brasil passa a ter o seu 38° Presidente da República. Sugiro então o que segue: leiam biografias de grandes brasileiros como Marechal Rondon, Joaquim Nabuco, Rodrigues Alves, José de Alencar, Santos Dumont, Rui Barbosa ou José Bonifácio.  Você sabe quem foram eles?

– Sei sim, vamos lá: militar defensor dos ameríndios brasileiros, um dos patronos da abolição da escravatura, Presidente da República (do município paulista de Guaratinguetá); poeta, escritor e grande pensador brasileiro, inventor da aeronave e pai da aviação; ministro, homem político e importante representante do Brasil quando da passagem da Monarquia para a República, político importante em Portugal e no Brasil. Vá me testando…

– Como Brasileiros, aguardamos, portanto, o desenrolar dos próximos passos do futuro governo do Brasil e estaremos atentos aos deslizes que porventura ocorram e possam fragilizar a nossa ainda frágil democracia.

– Não ao extremismo!!!